Gestão

Planejamento Estratégico na Saúde Parte I

Por Roberta Massa B. Pereira | 22.07.2015 | Sem comentários

Publicidade

O planejamento surgiu na Revolução Industrial, onde o processo de produção que era realizado artesanalmente, passou a ser realizado pelas máquinas.

O processo de maquinização contribuiu para o desenvolvimento das industrias e alavancar a economia, porém o processo de gestão dessas atividades passou a ficar cada vez mais complexo.

As empresas passaram a ter que controlar os seus processos internos, (pessoas, recursos, atividades), e ao mesmo tempo elaborar e implementar estratégias para se manterem no mercado competitivo e garantir o cumprimento das metas de curto e longo prazo.

Tempos atuais

Nos dias atuais o objetivo principal das empresas não mudou, porém, devido a alguns fatores como a crise econômica, alterações climáticas, o avanço da tecnologia, os clientes que estão cada vez mais exigentes, transformaram o processo de gestão e de planejamento cada vez mais desafiador.

Na área da saúde os processos não são blindados, onde as mudanças constantes no mercado impactam diretamente na gestão, especificamente nas clínicas e nos hospitais, onde além de lidar com todos os processos internos como os das industrias, (os mesmos citados acima), ainda necessitam possuir poder de gestão e negociação com todos os públicos que à área da saúde está diretamente e indiretamente envolvida, podendo ser destacados os públicos abaixo:

Pacientes: Particulares, Saúde Suplementar, SUS.

Fornecedores: Materiais, Equipamentos, Medicamentos e OPME.

Corpo Clinico e Assistencial: Médicos, equipe multiprofissional.

A busca pelo sucesso através da estratégia

Diante de todas essas particularidades, podemos afirmar que para que os hospitais e clinicas tenham sucesso empresarial é necessário possuir estratégia bem definida, e que seja voltada para a inovação, adaptação e melhoria continua dos processos.

Segundo Oliveira Djalma, (1.999), estratégia é a ação ou caminho mais adequado a ser executado para alcançar os objetivos da empresa.

A estratégia necessita do envolvimento de todos os níveis da organização que deverão possuir alguns critérios:

Resistir ao longo prazo: capacidade operacional com autonomia para redefinição de estratégia;

Crescimento: aumento da prestação do serviço, capitais próprios e o valor da empresa;

Ser rentável: que o retorno financeiro possa garantir a realização de investimento, o pagamento dos funcionários e a distribuição de lucro aos Stakeholders;

Capacidade de inovar: ser flexível permitindo a geração de novos processos e a execução de novos serviços.

Os critérios acima deverão possuir regras de tomada de decisão que irão orientar o comportamento da instituição dentro do mercado.

As regras deverão estar relacionadas aos objetivos da empresa, as metas a serem alcançadas, a estratégia de mercado, a prestação de serviços, modelo de gestão, conceito organizacional e as diretrizes e politicas organizacionais.

Como realizar um planejamento estratégico na área da Saúde?

Na parte II deste texto iremos aprofundar essa questão.

Até a próxima.

Compartilhe!