Gestão

Planejamento Estratégico na Saúde Parte III

Por Roberta Massa B. Pereira | 14.08.2015 | 1 comentário

Publicidade

Para aqueles que iniciaram a leitura a partir deste texto, resolvi escrever sobre Planejamento Estratégico na Saúde, a ideia surgiu após o recebimento de uma série de e-mails de leitores solicitando material sobre o assunto, ao longo da construção do material percebi que seria mais produtivo, para fomentar o debate que o texto fosse dividido em partes.

No primeiro post “Planejamento Estratégico na Saúde – Parte I” – (Clique aqui para ler) tratei o tema a partir de uma visão geral, a ideia foi abordar o tema de forma introdutória, importante para que algumas definições fossem consideradas.

No segundo post escrevi sobre a importância da identidade organizacional e as metodologias mais utilizadas para realização do planejamento estratégico de maneira eficaz “Planejamento Estratégico na Saúde – Parte II ” – (Clique aqui para ler).

No terceiro post irei abordar a realização do diagnóstico situacional através da análise SWOT.

visãogeralplanejamento estratégico

A análise SWOT é uma ferramenta muito utilizada pelos administradores, devido a sua praticidade e eficiência nos processos de planejamento essa análise vem sendo aplicada tanto na prestação de serviço como também nas áreas de produção do comércio e da indústria.

A técnica foi elaborada pelo norte-americano Albert Humphrey, durante o desenvolvimento de um projeto de pesquisa na Universidade de Stanford entre as décadas de 1960 e 1970, usando dados da Fortune 500, revista que compõe um ranking das maiores empresas americanas.A ferramenta auxilia no delineamento das ações estratégicas permitindo identificar as prioridades a serem executadas correlacionando o ambiente interno com o ambiente externo.

Identificando as melhores oportunidades

A correlação dos ambientes irá identificar as melhores oportunidades a serem realizadas, quais serão os riscos ou ameaças que a empresa poderá ter na execução da ação, quais são os pontos fracos à serem aprimorados e o mais importante, quais são os pontos fortes da empresa que devem ser mantidos e aprimorados continuamente para maior valorização por parte dos clientes e das partes interessadas.

A identificação de um número maior de ameaças externas associadas a muitos pontos fracos indica a necessidade de sobrevivência, a empresa necessita reduzir seus custos.

O cruzamento de ameaças e pontos fortes pode indicar uma possível estagnação por parte da empresa devido a sua liderança e indica a necessidade de manutenção da posição da empresa.

Os pontos fortes devem ser ressaltados pela empresa e os pontos fracos deverão ser trabalhados e controlados.

Ambiente interno e externo: importante conhecê-los bem

O ambiente externo não tem nenhum controle por parte da organização, mesmo não podendo controla-lo a empresa deve conhecê-lo e monitorá-lo frequentemente aproveitando as oportunidades e evitando as ameaças.

Nem sempre será possível evitar e controlar toda as ameaças, porém a realização de planejamento eficaz para enfrentá-la certamente poderá minimizar os seus efeitos.

ambienteinternogeral

O resultado final da análise dos cenários irá proporcionar a identificação dos fatores críticos de sucesso, a definição das vantagens competitivas e a melhor estratégia empresarial.

A aplicação da análise SWOT na área da saúde pode ser realizada de forma eficaz, um bom trabalho utilizando a ferramenta poderá irá facilitar o planejamento estratégico na instituição, oferecendo respostas e sinais importantes em relação a definições estratégicas para o futuro.

Conclusão

Para deixar mais claro a utilização da ferramenta, abaixo apresentarei um modelo de aplicação da análise SWOT na área da saúde:

SWOTNASAUDE

O planejamento estratégico na área da saúde apresenta uma série de oportunidades para que as instituições possam melhorar o desempenho e sua competitividade.

No próximo post iremos falar sobre planos Mapa estratégico e Planos de ação.

Até lá!

 

Compartilhe!
  • Jeronimo

    Gostei !!!