Educacional

Planejamento Estratégico na Saúde – Parte IV – Final

Por Roberta Massa B. Pereira | 29.08.2015 | 1 comentário

Publicidade

Para aqueles que iniciaram a leitura a partir deste texto, resolvi escrever sobre Planejamento Estratégico na Saúde, a ideia surgiu após o recebimento de uma série de e-mails de leitores solicitando material sobre o assunto, ao longo da construção do material percebi que seria mais produtivo, para fomentar o debate que o texto fosse dividido em partes.

No primeiro post “Planejamento Estratégico na Saúde – Parte I” – (Clique aqui para ler) tratei o tema a partir de uma visão geral, a ideia foi abordar o tema de forma introdutória, importante para que algumas definições fossem consideradas.

No segundo post escrevi sobre a importância da identidade organizacional e as metodologias mais utilizadas para realização do planejamento estratégico de maneira eficaz “Planejamento Estratégico na Saúde – Parte II ” – (Clique aqui para ler).

No terceiro post abordei a realização do diagnóstico situacional através da análise SWOT e a identificação dos fatores críticos de sucesso. “Planejamento Estratégico na Saúde – Parte III –  Clique aqui para ler.

No quarto post irei abordar o Mapa Estratégico e os Planos de Ação.

001

A definição de uma estratégia é tão importante quanto entendermos as competências e a construção de uma estrutura organizacional adequada, conseguindo então detalhar as ações necessárias para obtenção do sucesso.

As estratégias devem fluir das atividades como um todo e devem ser segmentadas por dimensões, a efetividade dessas ações deverão ser mensuradas através de indicadores.

Para a execução dessa fase do processo a utilização da metodologia Balanced Scorecard é uma opção bem aceita no mercado.

A metodologia auxilia a organização a traduzir sua estratégia em objetivo que irá direcionar o comportamento e o desempenho da organização.

O processo se inicia a partir do Mapa Estratégico que deverá ser estruturado com divisões das perspectivas e com a cadeia de causa e efeito entre as diretrizes estratégicas.

Segundo Kaplan e Norton (2004), o mapa estratégico adiciona a dinâmica temporal da estratégia, trazendo mais clareza e foco. Portanto, pode-se dizer que o mapa estratégico é a representação visual da estratégia, ilustrando em uma página as quatro perspectivas, que demonstram a estratégia.

002

Estratégia Financeira: garantia da otimização das decisões relacionadas ao capital disponível, ao orçamento e gestão de caixa, atingindo o equilíbrio financeiro necessário a gestão estratégica competitiva.

Estratégia Clientes:  reforça o relacionamento da organização com os seus clientes, deve abordar a fidelização e posicionamento da marca.

Estratégia Processos: A logística é uma das questões mais importantes, ressalta as qualidades da empresa em relação a sua agilidade e flexibilidade, sendo um grande diferencial para a competitividade no mercado.

A integração vertical, que nada mais é que a entrada e saída dos elos posteriores ou anteriores da cadeia de valor, garante o valor agregado atuando praticamente em todos os elos da cadeia de valor. A tecnologia da informação permeia as ações, a forma que a estratégia será implementada, está diretamente relacionado ao grau de dependência no desenvolvimento e aplicação da TI nos seus processos.

Estratégia de Aprendizado e Crescimento: oferece infraestrutura que possibilite a construção de objetivos ambiciosos. Inovar, melhorar e aprender a relacionar-se diretamente com seu valor.

003

Para a realização dos objetivos, devem serem definidas as iniciativas, onde cada uma deverá ter um responsável e prazo de execução.

A cadeia deverá ser decomposta em objetivos, indicadores, metas e iniciativas nas 4 dimensões do negócio.

Para facilitar a compreensão do mapa estratégico, segue um exemplo da definição da estratégia, assim como os objetivos estratégicos, de acordo com mapa ilustrado na figura acima.

Definição estratégica: realização de contratação de empresa para reestruturação do site.

a) Ações On-line:

Cadastro do site nos principais catálogos de mecanismo de busca.

Mala direta: envio de e-mail com as novidades de acordo com o interesse do usuário

Banner: parcerias com sites de conteúdos complementar.

b) Ações Off-line:

Busca de parcerias com entidades de classes do setor oferendo espaço publicitário no site.

Campanhas de divulgação em universidades.

Objetivos Estratégicos: avaliação dos resultados obtidos na organização para a redução de custos, agilidade nos processos, e o aumento da satisfação do cliente.

A utilização da ferramenta é extremamente importante no processo de gestão pois beneficia a empresa a ter foco no negócio, contribui no desenvolvimento da liderança e da alta direção, facilita o direcionamento para alocação de recursos, promove o aperfeiçoamento e educa a organização.

O tema Planejamento estratégico é um tema muito importante e merece ser tratado com prioridade dentro das organizações.

O entendimento teórico é fundamental, mas colocar em prática o planejamento é um desafio enorme, muitos profissionais pecam na execução por não empregar a seriedade e o detalhamento indispensável que o assunto necessita.

Até a próxima!

 

Compartilhe!
  • carmem oliveira

    Excelentes dicas a seguirem!