Gestão

Arator promove soluções de sustentabilidade para a saúde no Healthers InSpirit 2015

Por Roberta Massa B. Pereira | 10.11.2015 | Sem comentários

Publicidade

Debates mediados por Roberta Valença contam com participantes de diversas organizações ligadas à área médica da América Latina

Healthers Inspirit reúne anualmente os executivos dos principais hospitais da América Latina para debater tendências relacionadas à gestão da saúde.

Arator Sustentabilidade (www.aratorsustentabilidade.com.br), consultoria de gestão e educação com foco em sustentabilidade, foi um dos destaques da edição 2015, realizado em Orlando, nos Estados Unidos.

Entre os temas debatidos na mesa mediada por Roberta Valença, CEO da Arator, destacam-se as bases para uma organização sustentável – ambientalmente correta, socialmente justa e economicamente viável. Confira o resumo das discussões:

Três grandes necessidades:

  • Diálogo entre Cadeia de Valor

A falta de transparência no setor e a pouca abertura de diálogo em prol da evolução da área prejudica a possibilidade de padronização e adoção de tecnologias e processos que poderiam dar o avanço que o país precisa no acesso à saúde.

  • Cuidado centrado no paciente

O foco do modelo atual é o lucro – e muito se sacrifica em termos de atendimento. Lucro é a primeira responsabilidade da “pessoa jurídica”, mas a forma de alcançá-lo faz muita diferença.

  • Novos modelos de remuneração

Seguindo o modelo mental do lucro no centro da estratégia, a questão da remuneração privilegia, em muitos casos, o consumo em detrimento da qualidade. Desenvolver um mercado onde os stakeholders têm objetivos distintos é muito mais complicado.

Desafio: diálogo com os stakeholders

A fim de gerenciar o envolvimento dos stakeholders de forma adequada, é necessário o mapeamento correto para identificá-lo e priorizá-lo por força de engajamento nos aspectos que queremos tratar. Por exemplo: se o nível de engajamento é a resolução de conflitos, as abordagens devem ser a mediação desses conflitos e a co-construção de soluções.

Temas centrais de discussão:

  • Resíduos hospitalares

Muitos participantes das mesas admitiram que os hospitais favorecem a promoção de doenças por conta da poluição e/ou pelo descarte incorreto de resíduos.

Confira um dos caminhos possíveis para a resolução de alguns desses problemas:

Poluição -> gestão eficiente de resíduos e do uso de recursos naturais

Mudanças climáticas -> Institucionalização das questões ambientais

Consumo de recursos materiais e descarte de resíduos -> tecnologias inovadoras

Foi consenso que a compreensão de como os problemas ambientais afetam o negócio como um todo é fundamental para direcionar as ações de prevenção e mitigação das externalidades presentes.

  • Governança corporativa para sustentabilidade

É o nome que se dá às normas, processos regulamentos e instituições que regem um negócio, resultado de um consenso compartilhado entre os públicos interessados de cada organização. Nada funciona direito se este consenso não estiver bem claro e difundido – assim como o conceito de sustentabilidade, deve ser intrínseco para ser efetivo.

Entre as iniciativas abordadas pelos participantes, destacou-se a criação de uma equipe multidisciplinar (gestores e colaboradores de áreas distintas) para trazer o diálogo que estabelece com cada um pode contribuir (visão estratégica de desenvolvimento sustentável). Os líderes precisam se juntar para criar uma nova mentalidade, focada em objetivos comuns.

5 categorias mais importantes para o ciclo de sustentabilidade no setor da saúde:

  • Inovação e perspectivas estratégicas de longo prazo
  • Responsabilidades institucionais e individuais
  • Qualidade
  • Prevenção de doenças e Promoção da Saúde
  • Institucionalização das questões ambientais

Além das dinâmicas, a programação incluiu palestras com Marcelo Gleiser, físico e astrônomo, e Debbie Spielman, COO do Florida Hospital for Children.

“O InSpirit contou com uma equipe muito qualificada de moderadores e palestrantes. O evento conseguiu desenvolver a faísca da transformação nos participantes, e esperamos agora que ela se alastre em suas equipes, permitindo um crescimento da saúde em si e não mais da doença”, comenta Roberta.

Para saber mais detalhes sobre a Arator Sustentabilidade, acesse o site: www.aratorsustentabilidade.com.br

Compartilhe!