Qualidade

Liderança em saúde é tema de revista voltada para melhoria de qualidade e segurança

Por Roberta Massa B. Pereira | 01.02.2016 | Sem comentários

Publicidade

Publicação traz ainda entrevista exclusiva com pesquisador da Harvard Medical School, que defende o empoderamento do paciente na assistência

 A 5ª edição da Revista Acreditação em Saúde, publicada pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), é dedicada a um tema exclusivo: a liderança em saúde. Maria Manuela Alves dos Santos, superintendente da instituição, explica que ao fazer um número especificamente sobre o tema, o CBA tem como propósito contribuir para que todos possam pensar sobre o papel da liderança e também sobre o papel da equipe em busca de um objetivo comum. “A liderança pode ser exercida em vários níveis e sob diversos aspectos.

Mas, para isso, é preciso saber relacionar-se com transparência, gerando empatia e confiança”, assegura.

Coordenadora de Educação do CBA, a enfermeira Nancy Yamauchi também considera o diálogo e o relacionamento aberto como características fundamentais para um bom líder.

Segundo ela, o primeiro passo para atuar com liderança é conhecer os próprios pontos fortes e fracos. “É importante que o líder seja maduro, seguro e aberto para receber feedback sem ficar na defensiva, pois isso pode criar bloqueios na comunicação e no relacionamento”, aponta.

O conhecimento técnico-científico também é outro ponto importante para qualquer líder na área de Saúde.

Para a educadora do CBA, as competências humanas são o maior desafio de uma liderança. “Relacionar-se com as pessoas requer sensibilidade, empatia e comunicação eficaz. Liderar é buscar o melhor em cada pessoa e mostrar para ela como isso é importante para todo o grupo.

A liderança tem mais a ver com quem somos do que com o que fazemos ou sabemos.”

Para discutir o assunto, a revista apresenta diversos cases de hospitais, de serviços de transporte e de cuidados ambulatoriais, e de operadora de saúde, todos acreditados pelo CBA com base na metodologia da Joint Commission International (JCI), da qual o organismo brasileiro é representante.

Nas 40 páginas da revista, o leitor vai encontrar exemplos de como a tecnologia da informação pode auxiliar a liderança nas tomadas de decisões, como a gestão participativa impacta na melhoria dos resultados, como a performance da equipe está diretamente ligada a satisfação do cliente e o planejamento estratégico dos processos assistenciais contribui para a melhoria dos resultados clínicos e operacionais, entre outros enfoques envolvendo à liderança.

Empoderamento

A revista traz ainda uma entrevista exclusiva com o pesquisador da Harvard Medical School e diretor da Unit for Innovative Healthcare Practice & Technology do Hospital Brigham and Women, em Boston (EUA), Ronen Rozemblum.

O especialista afirma que instituições de saúde precisam estar mais preparadas para atender as demandas de um novo perfil dos pacientes. “Com acesso instantâneo a conteúdos em saúde, os pacientes estão mais informados e se tornaram mais participantes em seu tratamento”, aponta ele.

Coeditor do recém-publicado livro Information Technology for Patient Empowerment in Healthcare (Tecnologia da Informação para o Empoderamento do Paciente, em livre tradução), Rozenblum defende que é preciso aliar as novidades da tecnologia da informação a uma cultura do cuidado centrado no paciente para oferecer um atendimento com alto nível de qualidade.

O resultado reflete-se na satisfação do cliente com a instituição. “A tecnologia permite que as organizações se associem aos seus clientes, otimizando a qualidade do cuidado, melhorando os resultados e transformando o próprio sistema de saúde”, assegura.

Foi com esse foco que Rozenblum criou a Unit for Innovative Healthcare Practice and Technology, uma unidade que tem como objetivo estabelecer e apoiar um relacionamento estruturado e duradouro entre a pesquisa acadêmica desenvolvida na instituição e a indústria de saúde, com o intuito de alavancar a qualidade e a segurança em saúde por meio de sistemas, métodos e práticas cientificamente comprovados.

Como diretor da unidade, Rozenblum iniciou parcerias em pesquisas com diversas empresas de vários países.

Muitas das colaborações estão relacionadas justamente a ferramentas de tecnologia da informação aplicadas à saúde.

Segundo Cristiane Henriques, gerente de Marketing do CBA e idealizadora da publicação, a proposta da Revista Acreditação em Saúde é discutir temas relevantes para a comunidade de saúde, como o apresentado pelo professor de Harvard. Para isso, a publicação traz entrevistas com renomados profissionais e relatos de instituições do setor. “A revista é distribuída gratuitamente e fica disponível na internet.

Queremos democratizar a informação e aguçar o debate entre os profissionais de saúde”, diz ela. Para acessar a revista Acreditação em Saúde, basta acessar o site http://cbacred.org.br/revistas/revista-acreditacao-saude-2-sem-2015.pdf.

Fonte: SB-Comunicação-01.02.2016

Compartilhe!