Gestão

Cremesp discute parceria com National Board of Medical Examineer

Por Roberta Massa B. Pereira | 08.03.2016 | Sem comentários

Publicidade

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) poderá estabelecer uma parceria com o National Board of Medical Examineer (NBME).

Criado em 1915, o NBME é uma instituição independente que, junto ao United States Medical Licensing Examination (USMLE) e a Federation of State Medical Boards (FSMB), avalia o conhecimento médico em etapas, às quais os estudantes de Medicina dos Estados Unidos e Canadá e os profissionais devem passar para poder exercer a profissão nos EUA.

Em recente visita ao Brasil para o Simpósio Internacional sobre Avaliação de Desempenho dos Egressos de Medicina, o médico português Nuno Sousa, que é membro do Comitê Executivo do NBME, conheceu em detalhes o Exame do Cremesp.

Ele também teve uma reunião com os coordenadores da prova, o presidente do Conselho, Bráulio Luna Filho, e o conselheiro Reinaldo Ayer de Oliveira. Para Sousa, que também é professor titular e pesquisador da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade do Minho em Portugal, o Exame do Cremesp e o NBME têm muito em comum, principalmente em relação à análise dos resultados. O professor destacou ainda que ambas as provas têm como meta a melhoria da assistência à saúde, de “um enorme valor social”.

Confira mais sobre o assunto na entrevista de Nuno Sousa ao Portal do Cremesp:

1º-Quais foram as suas impressões sobre o Exame do Cremesp?
Nuno Sousa – Acho que o trabalho efetuado pelo Cremesp na dimensão da avaliação tem sido notável. A qualidade do trabalho efetuado, bem como a confiança que foi alcançada, esta bem espelhada pelo número de candidatos que no último ano fizeram a prova (mesmo sem que esta fosse obrigatória).

2º-É possível estabelecer parâmetros entre o National Board of Medical Examineer e o Exame do Cremesp?
NS- Claro que sim. Ambas as instituições estão empenhadas num objetivo principal: melhorar os cuidados de saúde através da avaliação. Esta meta, de enorme valor social, só pode ser alcançada se forem criados instrumentos de avaliação de competência médica de grande qualidade.

3º Qual é a importância da avaliação de graduandos em Medicina de maneira geral?
NS – Tal como disse na resposta anterior, a avaliação de graduandos em Medicina é essencial para a garantia da qualidade da prestação de cuidados de saúde. Só assim poderemos estar confiantes da qualidade formativa e do sistema de saúde. Este aspeto é essencial, sobretudo porque existe uma heterogeneidade formativa muito grande e a avaliação permite detectar deficiências formativas quer individuais, quer institucionais (e, dessa forma criar mecanismos de remediação). Estes aspetos são críticos numa profissão tão exigente como a Medicina, onde há renovação constante dos saberes.

4º- Em reunião com os coordenadores do Exame do Cremesp, o sr. acenou com a possibilidade de levar uma proposição de parceria ao Comitê Executivo do NBME, caso os responsáveis pela prova brasileira elaborassem uma proposta. Como poderia ser desenvolvida essa parceria?
NS- Sim, estamos a trabalhar em conjunto para estabelecer uma colaboração, que entendo pode ser benéfica para todos na medida em que partilharmos valores comuns. Espero muito brevemente poder ser mais concreto quanto a datas, mas o que é seguro neste momento é que estamos a trabalhar para a construção dessa colaboração.

Avaliação nos EUA – como funciona

Conhecido pela sigla USMLE, o exame para exercício da Medicina nos EUA foi introduzido em 1992. Trata-se de uma avaliação em várias etapas desenvolvida pela Federation of State Medical Boards(FSMB) e pela National Board of Medical Examineer (NBME), e deve ser realizado por estudantes de Medicina ou médicos para a obtenção da licença profissional.
Step 1 – é a primeira etapa do processo e avalia se o estudante de Medicina ou médico tem capacidade de compreender e aplicar conceitos importantes das ciências básicas na prática médica.
Step 2 – tem como objetivo avaliar se o estudante de Medicina ou médico tem conhecimentos, habilidades e compreensão da ciência clínica essencial para a assistência ao paciente, sob supervisão. O Step 2 é subdividido em dois exames:
Step 2 CK (Clinical Knowledge) – exame de múltipla escolha com o intuito de avaliar o conhecimento clinico tradicional, constituído de oito blocos – com média de 46 perguntas cada um – sobre temas de Clínica Médica, Cirurgia, Pediatria, Psiquiatria, Ginecologia e Obstetrícia.
Step 2 CS (Clinical Skill) – exame prático para avaliar habilidades clínicas simuladas com pacientes, no qual o examinando interage com pacientes padronizados retratados por atores.
Step 3 – Destinado a avaliar se o médico consegue aplicar o conhecimento e a compreensão da ciência médica e clínica essencial na prática. Os formados em escolas médicas dos EUA normalmente realizam esse exame ao final do primeiro ano de Residência. São aplicados testes de múltipla escolha divididos em blocos e os participantes devem concluir cada bloco no tempo determinado. NBME/ USMLE

Fonte: CREMESP-08.03.2016

Compartilhe!