Gestão

Pacientes não vão a 30% dos exames e consultas em Florianópolis

Por Roberta Massa B. Pereira | 12.04.2016 | Sem comentários

Média de tempo de espera atendimento em Florianópolis é de 3 meses. Setor público tem média de agendamento de 110 mil exames por mês.

A Secretaria de Saúde de Florianópolis contabilizou que 30% das consultas e exames de média e alta complexidade são perdidos porque os pacientes não aparecem.

A média de tempo de espera para conseguir uma data para atendimento na capital é de três meses para 82% dos casos.

A média de agendamento é de 110 mil exames e consultas todos os meses na capital.

Com isso, cerca de 33 mil pessoas, que estão na fila, deixam de ser atendidas porque outros nem ao menos desmarcar o atendimento.

“É fundamental o apoio da população nesse sentido, da população compreender que a cada consulta que a gente perde é dinheiro público que todo mundo paga e que acaba sendo gasto e isso acaba impactando nas filas também”, diz a diretora de atendimento de média e alta complexidade da Secretaria de Saúde de Florianópolis.

O aposentado Vanderlei de Oliveira, de 78 anos, geralmente recorre a rede pública. Entretanto, conta que os exames para o coração faz na rede privada pela longa espera em filas. “A gente leva lá [rede pública] às vezes um exame com urgência tem que aguardar, ou arruma um trocado pra pagar fora”, conta.

Conforme a Secretaria de Saúde, é importante avisar para o reagendamento. O órgão aposta, para resolver o problema, em um novo sistema de mensagens que lembra os pacientes do agendamento que deve entrar em funcionamento até o final de maio.

Para isso, os telefones precisam estar atualizados. “A gente pede a população que vá na unidade de saude, atualize o telefone, porque isso vai ser fundamental pra manter a agilidade desse aviso dos exames”, diz Daniela. (RBS)

Fonte: UNIDAS-12.04.16

Compartilhe!