Gestão

Unitedhealth procura novo presidente para assumir a Amil

Por Roberta Massa B. Pereira | 13.04.2016 | Sem comentários

Segudo fontes do setor, operadora americana está em busca um novo gestor para substituir o fundador do negócio, Edson Bueno

A Amil, empresa controlada pela americana UnitedHealth e um dos maiores grupos do setor de saúde do país, está procurando um novo presidente para substituir o fundador do negócio, Edson Bueno. A empresa já teria começado a entrar em contato com outros executivos do setor.
Claudio Lottenberg, presidente do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, chegou a ser convidado. Com informações do Valor Econômico e O Globo.
 
Conforme o acordo firmado em 2012 entre Bueno e a UnitedHealth, o empresário brasileiro pode vender a participação de 10% na operadora até setembro de 2017, quando ele deve deixar o cargo de presidente.
 
De acordo com informações do setor, as negociações entre Bueno e Lottenberg, que também e sócio de uma rede de clínicas oftalmológicas em São Paulo, continuam, apesar de rumores que dizem o contrário.
No entanto, uma das condições para que Lottenberg assuma a Amil seria o seu afastamento do grupo Lotten Eyes Oftamologia Clínica e Cirurgia, criada em 1989, em São Paulo, e com cinco unidades.
 
Ainda segundo fontes do setor, aproximadamente dez executivos ligados a Amil já foram procurados por Bueno, mas as conversas não avançaram. Isso porque muitos desses executivos encontram-se em posições consolidadas.
E a presidência da Amil é considerada por muitos um posto complexo, devido a representatividade de Bueno e às complexidades do setor com as regulações. Além disso, outro detalhe complexo seria a remuneração do novo presidente, que precisaria estar atrelada a um bônus e a um plano de “stock options”.
 
Além de um plano de saúde, a Amil controla cerca de 30 hospitais e a última grande negociação foi a compra do Hospital Samaritano, em São Paulo. Com 5,6 milhões de clientes, em 2015 a operadora teve prejuízo de R$ 107,5 milhões e receita líquida de R$ 14,6 bilhões. 
 
Em 2012, a rede foi vendida para a americana UnitedHealth por cerca de R$ 10 bilhões. Com capital aberto desde 1984 na bolsa americana, a controladora americana faturou US$ 102 bilhões no ano passado com 99.000 empregados trabalhando nos 17 países onde atua.
Fonte: Diagnóstico Web-13.04.2016
Compartilhe!