Gestão

Governo de SP fará pente-fino em contas e dados de hospitais conveniados ao SUS

Por Roberta Massa B. Pereira | 22.04.2016 | Sem comentários

A iniciativa tem como objetivo evitar novas crises como a da Santa Casa de São Paulo, que entrou em colapso no ano retrasado após acumular dívida de R$ 800 milhões

A partir de maio, a Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo fará um pente-fino nas contas e dados de hospitais conveniados ao SUS para tentar identificar desperdício de recursos, falhas na assistência e problemas de gestão, inclusive desvios de verba pública.

A iniciativa, anunciada nesta quarta-feira, 20, pelo secretário estadual da Saúde, David Uip, tem como objetivo evitar novas crises como a da Santa Casa de São Paulo, maior instituição filantrópica da América Latina, que entrou em colapso no ano retrasado após acumular dívida de R$ 800 milhões.

“Tratava-se de uma instituição privada, cuja situação só veio à tona quando eles fecharam o pronto-socorro. Foi uma lição para nós”, declarou o secretário, referindo-se à decisão do então provedor da Santa Casa, Kalil Rocha Abdalla, de interromper os atendimentos de urgência na unidade por 30 horas em julho de 2014, alegando falta de recursos.

Auditorias e investigação do Ministério Público Estadual apontaram falhas de gestão. Em abril de 2015, Abdalla renunciou ao cargo após a Justiça autorizar a quebra de seus sigilos bancário e fiscal.

De acordo com Uip, um hospital será sorteado por semana para passar pela auditoria. As unidades escolhidas terão de apresentar dados econômicos, financeiros, administrativos, operacionais, assistenciais e institucionais.

Entre os indicadores que serão analisados estão os balanços patrimoniais dos últimos três anos, custos de cada setor, metas de produção, taxa de ocupação de leitos e contratos com empresas terceirizadas. “O que nós encontramos na Santa Casa de São Paulo me incomodou muito. Fizemos outras auditorias e encontramos outras situações que nos preocupam”, disse Uip.

Dos R$ 8 bilhões que a secretaria estadual recebe do Ministério da Saúde para custeio das ações do SUS, metade vai para convênios firmados pela pasta.

Atualmente, o governo estadual mantém parceria com 476 hospitais. “Tudo aquilo que tiver dinheiro público temos de auditar”, disse Uip.

Fonte: Estadão-22.04.2016

Compartilhe!