Qualidade

Principais destaques do Seminário Internacional de Segurança do Paciente e Acreditação em Saúde

Por Roberta Massa B. Pereira | 08.09.2016 | Sem comentários

Promovido pela ONA, evento reuniu profissionais de saúde e de gestão da qualidade de todo o país.

Que fatores influenciam na qualidade dos serviços de saúde? Como promover o cuidado centrado no paciente? Esses foram alguns dos pontos abordados no 2° Seminário Internacional de Segurança do Paciente e Acreditação em Saúde, promovido pela ONA (Organização Nacional de Acreditação), entre os dias 1 e 3 de setembro, em São Paulo.

O evento contou com 30 palestrantes nacionais e internacionais, além da apresentação de casos de sucesso de instituições de saúde brasileiras.

No primeiro dia de programação, foi realizado um pré-Seminário voltado para aspectos ligados à conquista da acreditação. Especialistas da ONA e convidados de instituições parceiras abordaram casos de sucesso e aspectos teórico-práticos da segurança do paciente e gestão da qualidade.

“Incluímos esse módulo para atender um pedido dos participantes da edição de 2015. Foi um sucesso”, destacou Dr.ª Maria Carolina Moreno, superintendente da ONA.

A abertura oficial do evento aconteceu no dia seguinte, sexta-feira (02/09). A palestra inaugural ficou a cargo do professor australiano, Dr. Jeffrey Braithwaite, uma das maiores autoridades mundiais em segurança do paciente.

Indicação de leitura: Ebook Lean Six Sigma em Saúde

Em sua fala explicou como o excesso de regras e protocolos pode prejudicar a qualidade da assistência e destacou a importância da formação de equipes resilientes, que se adaptam a diferentes situações.

O mais extraordinário no cuidado da saúde não é a produção de eventos adversos em 10% dos casos, mas que 90% dos casos vão bem. Infelizmente, passamos os últimos 20 anos  preocupados apenas com os 10%”, explicou na ocasião. Dr. Braithwaite também apresentou pesquisas internacionais sobre a influência da acreditação na qualidade assistencial.

No mesmo dia, a Dr.ª Carolyn Simpkins, da BMJ, abordou a construção da cultura do paciente. “Prestar atenção ao que nossos pacientes querem, quais são os desfechos que desejam, é muito importante para servi-los bem ao final. Qualidade é definitivamente importante, mas se não nos envolvermos na discussão sobre valor a discussão será apenas sobre números”, explicou.

No último, a programação contou com temas ligados à gestão de profissionais de saúde e tecnologia. Um dos destaques foi a palestra da Dr.ª Subashnie Devkaran, da Cleveland Clinic em Abu Dhabi, que abordou a experiência do paciente na determinação do nível de segurança. “De 17 a 25 pessoas interagem com o paciente em uma internação. O paciente é a única pessoa que está presente durante todo esse processo, então é fundamental que ele esteja no centro do cuidado”, destacou durante sua fala. “Uma experiência positiva do paciente gera segurança.

Melhores Práticas

Durante o encerramento do Seminário, foram anunciados os vencedores do Prêmio Melhores Práticas em Destaque, que reconhece iniciativas de sucesso em instituições acreditadas pela ONA.

O grande campeão foi o Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara, de Fortaleza/CE, com o projeto “A Utilização do Escore de Charlson na Análise dos Desfechos do Protocolo Sepse”. Na segunda e terceira colocação foram premiados, respectivamente, Hospital Municipal Dr. Moysés Deutsch M’Boi Mirim, com “BAEM: Busca Ativa de Erros de Medicação” e o terceiro para o Hospital Estadual de Diadema, com o projeto “Elogio”.

Sobre a ONA

A Organização Nacional de Acreditação (ONA) é uma entidade não-governamental e sem fins lucrativos que certifica a qualidade de serviços de saúde, com foco na segurança do paciente e na gestão da qualidade. Sua metodologia de acreditação é reconhecida pela ISQua (International Society for Quality in Health Care), associação parceira da OMS e que conta com representantes de instituições acadêmicas e organizações de saúde de mais de 100 países.

Com 15 anos de atuação e mais de 400 instituições certificadas, a ONA se consolidou como a principal acreditação de saúde do país.

Seus manuais são específicos para nove diferentes tipos de estabelecimentos: hospitais, ambulatórios, laboratórios, serviços de pronto atendimento, home care, clínicas odontológicas, clínicas de hemoterapia, serviços de terapia renal substitutiva e serviços de diagnóstico por imagem, radioterapia e medicina nuclear. A ONA também certifica serviços de apoio a instituições de saúde, como lavanderia, dietoterapia, esterilização e manipulação.

Fonte: ONA-08.09.2016.

Compartilhe!