Gestão

Postos de saúde em São Paulo marcam consulta apenas para 2018

Por Roberta Massa B. Pereira | 07.07.2017 | Sem comentários

Publicidade

Postos de saúde de São Paulo, sob a gestão João Doria (PSDB), estão marcando consultas com clínico-geral e ginecologista apenas para o ano que vem.

A reportagem consultou 25 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) entre esta terça-feira (4) e quarta (5) e encontrou a situação em três.

Uma delas é a UBS Veleiros, no Socorro (zona sul), onde uma atendente afirmou à reportagem que havia vagas para consulta com o clínico-geral para fevereiro de 2018.

Na tarde desta quarta, na UBS Veleiros, a supervisora de vendas Sara Gottsfritz, 54 anos, tentou marcar uma consulta com um clínico-geral, mas não conseguiu.

“Me disseram para ligar toda semana e ver quando terá vaga para o médico. Não deram nenhuma previsão de quando isso ocorrerá”, diz Sara.

Na UBS Chora Menino, no Imirim (zona norte), quem procura marcar com o ginecologista só consegue uma vaga a partir de janeiro.

Na UBS Vila Progresso, a Freguesia do Ó (zona norte), a dificuldade é a mesma: clínico-geral só em janeiro do ano que vem. Os pacientes reclamam.

Ludmilla Oliveira, 17, gestante de oito meses, teve de esperar por uma consulta com um obstetra, na UBS Vila Progresso.

“Fiquei seis meses para marcar, consegui apenas a um mês do parto”, diz. Algumas UBSs não seguem o indicado pela prefeitura no documento “Diretrizes Operacionais”, que determina que a marcação deve ser diária, permanente, sem data de abertura e fechamento de agendas.

Na UBS Jardim Boa Vista (zona oeste), a abertura de vagas ocorre todo dia às 7h, por ordem de chegada, e os atendimentos são feitos no mesmo dia.

Lean Six Sigma

Também na zona oeste, na UBS Paulo 6º, as atendentes informam que, para marcar consultas, é preciso colocar o nome do paciente em uma lista de espera, e aguardar o contato de um funcionário por telefone.

Mesmo assim, a espera por ginecologista é de dois meses.

A aposentada Guilhermina Maia, 73, foi nesta última segunda (3) à UBS Vila Progresso, na Freguesia do Ó, para tentar marcar um retorno com um clínico-geral.

Foi informada que não havia previsão para fazer o agendamento.

“Esperei desde março de 2016 para ter a primeira consulta em maio desse ano”, afirmou.

A Secretaria da Saúde afirma que os “retornos com clínico estão garantidos em até 60 dias.

Na UBS Veleiros, no Socorro (zona sul), a dona de casa Doralice Ribeiro, 62 anos, diz que a situação também é desanimadora. “Para o clínico-geral são de quatro a seis meses de espera.”

Outro Lado

A Secretaria Municipal da Saúde, órgão da gestão João Doria (PSDB), não comentou diretamente o fato de haver vaga para marcação apenas para 2018 em três postos de saúde.

Sobre a UBS Chora Menino, afirmou que “há um ginecologista, que, mesmo que não disponha de agenda, pode realizar encaixes de segunda a quinta devido ao grande número de faltas”.

“Todos os pacientes que procuram a unidade são atendidos, assim como na ginecologia.”

A respeito da UBS Veleiros, comentou apenas sobre as consultas com ginecologistas, dizendo que há vagas para “o mês corrente”.

No entanto, a marcação para o ano que vem acontece para clínico.

Sobre o caso de Sara Gottsfritz, disse que ela marcou ginecologista para 16 de agosto, mas não citou a consulta com clínico-geral.

Já a paciente Doralice Ribeiro passou pelo clínico nos dias 5 de janeiro e 22 de junho, disse.

A secretaria disse ainda que na UBS Vila Progresso os atendimentos estão sendo feitos pelos médicos da AMA.

Sobre o caso de Guilhermina Maia, disse que ele “não confere, pois não seria possível marcar uma consulta para maio com profissional que encerraria suas atividades em abril”.

Afirmou ainda que não encontrou o nome da jovem Ludmilla Oliveira.

A prefeitura afirmou ainda que o documento com as diretrizes das UBSs “já foi revisto pela atual administração”.

“Atualmente, a demanda espontânea diária das UBSs é acolhida por equipe multidisciplinar, que avalia a queixa”, disse.

A secretaria negou que haja lista de espera na UBS Paulo 6º, e disse que a UBS Jardim Boa Vista usa modelo em que 70% das vagas são ofertadas para o mesmo dia.

Veja carta enviada pela prefeitura após a publicação do texto:

Com relação à reportagem “Postos de saúde marcam consulta apenas para 2018” publicada na edição desta quinta-feira (6), a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo lamenta que a reportagem do jornal Agora, em nenhum dos cinco e-mails encaminhados a esta assessoria de imprensa ou mesmo em contato telefônico com a Pasta, tenha questionado sobre uma suposta falta de médicos na UBS Vila Progresso.

O jornal, desta forma, negou o direito de resposta sobre tal unidade e, se assim tivesse procedido, teria sido informada de que a unidade conta com três ginecologistas, o que garante o atendimento da alta demanda e que as agendas estão abertas normalmente e ainda há vagas para demandas espontâneas.

Não procede, portanto, a informação de que não exista previsão de atendimento para ginecologista neste ano ou que, para consulta com clínico, as vagas somente estejam disponíveis no próximo ano na unidade.

Já sobre a UBS Veleiros, cabe destacar que quando lhes foi informado, por meio de nota, que “Há vagas para o mês corrente para retornos e consultas de pré-natal”, a Pasta se referia não apenas às consultas de ginecologia, mas também às consultas com clínico geral.

Vale destacar, ainda, que a unidade, se necessário, tem providenciado atendimentos extra agenda oficial para os encaminhamentos que recebe dos Prontos Socorros, Hospitais e AMAs, em especial para casos de exames alterados.

Fora dos agendamentos padrões, todas as UBS realizam, diariamente, acolhimento com os profissionais da Estratégia Saúde da Família (ESF) –nas unidades específicas dessa modalidade–, e com os enfermeiros e médicos dedicados a atenderem as demandas espontâneas.

Fonte: Folha de São Paulo-07.07.2017.

Ebook Planejamento Estratégico em Saúde, baixe agora o seu.

Planejamento Estratégico em Saúde

Compartilhe!