Gestão

Hospital: como o sistema de gestão acelera o ciclo de faturamento

Por Roberta Massa B. Pereira | 24.08.2017 | Sem comentários

Faturamento: a Tecnologia pode ajudar a comprovar realização de procedimentos, evitar a ocorrência de glosas, mas é preciso saber como extrair o melhor valor da ferramenta.

A gestão do faturamento hospitalar é essencial  para a definição dos recursos disponíveis para investimentos, determinando como o hospital pode resolver o paradoxo entre oferecer qualidade nos serviços com meios limitados.

É a partir da análise acurada e constante desses dados que é possível ter visão de longo prazo, identificar possíveis perdas e, ainda, analisar a evolução das glosas – com o intuito, claro, de identificar os motivos para reduzi-las.

Um sistema de gestão reúne todas as informações que circulam nos mais diversos departamentos da instituição de Saúde.

Caso a plataforma esteja em nuvem, os dados podem ser acessados pelos responsáveis de qualquer lugar, a partir de um dispositivo conectado à internet.

A comunicação com a operadora de Saúde tende a ficar mais fácil em um ambiente eletrônico, quando comparado a um analógico:

Como o sistema parametriza todas as informações exigidas para comprovar os procedimentos, os colaboradores são menos suscetíveis a erros ou à formulação de justificativas pouco embasadas.

Isso gera uma mudança de perfil do profissional do faturamento, que passa a ter um papel de auditor de contas, muito mais estratégico para a organização de Saúde.

Com o cruzamento de dados gerados pelos mais diferentes setores do hospital, é possível identificar onde há gargalos e agir de forma estratégica para corrigir o rumo e evitar perdas.

Mudanças

O impacto no uso dessa tecnologia não ocorre somente no departamento financeiro, mas afeta todo o funcionamento do hospital.

O sistema de gestão estimula compra e venda mais assertivas de medicamentos e insumos, o que permite gestão mais acurada do estoque e evita excesso ou falta de determinado item.

Há, ainda, um controle maior sobre o que é utilizado em cada tipo de procedimento hospitalar, o que facilita a cobrança às operadoras por meio da criação de padrões e indicadores.

Na prática, isso significa que o sistema sabe exatamente o que se usa em uma cirurgia, por exemplo, e em qual quantidade, facilitando a comprovação dos gastos e sua consequente cobrança.

O mesmo vale quando se fala em pagamento de equipes por procedimentos, já que é possível saber exatamente os profissionais envolvidos em cada atividade assistencial realizada pelo hospital.

Glosas

O sistema de gestão, portanto, tem como objetivo não só a gerir glosas de forma mais assertiva, mas, principalmente, evitá-las.

Com informações organizadas e disponíveis em um só lugar, é simples para o hospital comprovar à operadora de Saúde dias de internação, dispensação de medicamentos, taxas de equipamentos, procedimentos cirúrgicos e todo o aparato necessário para o atendimento do beneficiário.

A possibilidade de integrar o sistema do hospital ao das operadoras aumenta a eficiência do ciclo de faturamento, além de diminuir significativamente o uso de papel.

Guias de faturamento e formulários para justificar e solicitar a autorização de exames e procedimentos.

Usar menos papel pode ser, inclusive, outra forma de economizar gastos da organização.

Em tempo de mudanças na gestão, administrar o faturamento de forma inteligente precisa fazer parte da lógica das organizações.

A gestão hospitalar deve conseguir avaliar efetivamente se a instituição é capaz de faturar sem sofrer perdas significativas que comprometam o equilíbrio do empreendimento e, assim, manter a qualidade do atendimento em Saúde.

Fonte: MV – Sistema de Gestão de Saúde – 24.08.2017.

Ebook Planejamento Estratégico em Saúde, baixe agora o seu.Planejamento Estratégico em Saúde
Compartilhe!