Saúde

Dia Mundial do AVC: doença também afeta pessoas mais jovens

Por Roberta Massa B. Pereira | 26.10.2017 | Sem comentários

Publicidade

Data é lembrada em 29 de outubro para conscientizar sobre a importância da prevenção do AVC. Neurologista do Hospital Santa Paula fala sobre fatores de risco entre os jovens.

O Dia Mundial do AVC é lembrado no dia 29 de outubro com o objetivo de conscientizar a população quanto ao tratamento e a prevenção da doença.

Criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em parceira com a Federação Mundial de Neurologia, é um alerta para este problema que, segundo dados de 2016 do Ministério da Saúde, mata todos os anos 100 mil pessoas no Brasil.

Este número é maior que o total de mortes causadas por malária, tuberculose e AIDS somadas.

Por mais que o AVC seja conhecido por acometer principalmente pessoas mais velhas, o número de casos registrados entre jovens (de 18 a 50 anos) vem aumentando nas últimas duas décadas.

Segundo dados do Ministério da Saúde, todo ano, no Brasil, 15 mil pessoas entre 15 e 39 anos de idade sofrem um acidente vascular cerebral.

Isso já representa 10% do total de casos.

Lean Six Sigma

“Essa incidência está relacionada ao aumento da exposição das populações urbanas aos principais fatores de risco, como sedentarismo, tabagismo e obesidade”, afirma Bruno Funchal, neurologista do Hospital Santa Paula.

Outros fatores de risco incluem hipertensão e colesterol alto.

Como esses fatores são cada vez mais comuns entre os jovens devido ao estilo de vida da sociedade atual, não é surpresa que a ocorrência de AVC também seja mais frequente.

As principais causas de AVC entre os jovens envolvem problemas cardíacos que possam gerar coágulos dentro do coração e a ruptura de vasos que levam sangue ao cérebro.

Os sintomas e tratamentos para a doença não mudam entre as faixas etárias.

Entretanto, quanto mais novo o paciente, ele terá que lidar com as possíveis sequelas neurológicas por mais tempo.

“É necessário reabilitar e reinserir essas pessoas socialmente e no mercado de trabalho, a fim de proporcionar-lhes uma vida digna e produtiva”, conclui o especialista sobre a recuperação do jovem paciente de AVC.

Felizmente, é possível se prevenir contra esse mal através de pequenas mudanças de hábito para levar uma vida saudável.

O neurologista recomenda a prática de exercícios, o controle do peso e o tratamento de outras condições médicas, como hipertensão e diabetes.

Sobre o Instituto de Neurologia Santa Paula

Inaugurado em 2016, o Instituto de Neurologia Santa Paula oferece tratamento para pós-AVC (Acidente Vascular Cerebral) e patologias neurológicas e neurocirúrgicas, com UTI neurointensiva e neurologista no Pronto-Socorro 24 horas.

O instituto surgiu da necessidade do hospital em assistir o paci30ente que chegou no hospital via pronto-atendimento.

Dos 8 mil pacientes que chegam ao PS ao mês, em torno de 700 são de demandas neurológicas, com pelo menos 30 casos mensais de suspeitas de AVC.

O Hospital Santa Paula é referência em neurologia e foi o terceiro hospital da América Latina a receber a certificação internacional de excelência no tratamento do paciente com AVC pela Joint Commission International (JCI).

Fonte: In Press Porter Novelli- 26.10.2017.

Ebook Planejamento Estratégico em Saúde, baixe agora  o seu.Planejamento Estratégico em Saúde

 

Compartilhe!