Gestão

Anvisa aprova medicamento inovador para reposição hormonal

Por Roberta Massa B. Pereira | 08.06.2018 | Sem comentários

A Anvisa acaba de aprovar o medicamento Duavive (estrogênios conjugados/ acetato de bazedoxifeno) da Pfizer.

Para o tratamento de sintomas vasomotores moderados a graves associados à menopausa.

Esses sintomas, que estão associados à baixa de estrogênio no organismo, incluem ondas de calor, sudorese e palpitação.

As crises podem se repetir várias vezes ao dia, prejudicando a qualidade de vida da mulher.

Com um mecanismo inovador, Duavive marca a chegada de uma nova classe de medicamentos no Brasil.

O produto, aprovado nos Estados Unidos há 5 anos e comercializado em mais de 30 países.

Traz uma combinação de dois princípios-ativos: estrogênios conjugados e acetato de bazedoxifeno.

O primeiro funciona repondo o estrogênio que deixou de ser produzido e aliviando os sintomas vasomotores.

Já o acetato de bazedoxifeno age nos receptores de estrogênio.

Das células das mamas, ossos, útero e do aparelho geniturinário.

Lean Six Sigma

Inibindo os efeitos negativos associados ao uso isolado do hormônio.

“Ao utilizar uma combinação de substâncias ativas, Duavive traz uma nova abordagem para a terapia hormonal.

Em mulheres que estão na menopausa e apresentam útero intacto.

Que tradicionalmente eram tratadas com uma reposição combinada de estrogênio e progestágeno.

Trata-se do primeiro medicamento que conjuga o estrogênio com um antagonista desse hormônio.

Assim, o medicamento não estimula o endométrio nem altera a densidade das mamas.

Que são grandes preocupações das mulheres nesse período.

Além disso, o acetato de bazedoxifeno tem efeito protetor sobre a massa óssea.

Sendo muito utilizado para evitar a osteoporose”, diz o diretor médico da Pfizer, Eurico Correia.

Menopausa

Como o início da menopausa ocorre por volta dos 50 anos e o tempo médio de vida das brasileiras atualmente é de 79,4 anos.

Segundo as estatísticas oficiais, muitas mulheres terão de conviver com a menopausa por cerca de 30 anos.

Nesse contexto, discutir alternativas que preservem a qualidade de vida durante esse período assume grande importância.

Embora a intensidade dos sintomas varie entre as mulheres ao longo desse período.

A maioria enfrenta algum desconforto, como queda da libido.

Ondas de calor alternadas com arrepios de frio, secura vaginal, depressão, entre outros.

Nesses casos, é possível considerar o tratamento com terapias de reposição hormonal.

A partir de uma avaliação personalizada de cada paciente.

O procedimento é considerado seguro e eficaz, desde que a mulher seja acompanhada regularmente.

Pelo médico e que as contraindicações para as medicações sejam respeitadas.

Fonte: Pfizer – 08.06.2018.

Ebook Planejamento Estratégico em Saúde, baixe agora o seu.Planejamento Estratégico em Saúde

 

Compartilhe!