Tecnologia

Soluções de digitalização trazem economia de tempo e espaço para hospitais e clínicas.

Por Roberta Massa B. Pereira | 09.10.2015 | Sem comentários

Publicidade

A quantidade de pacientes que passa por um hospital ou clínica diariamente gera um amplo volume de prontuários em papel, que necessitam de um grande espaço para armazenamento e são de difícil localização quando é preciso procurar por um arquivo.

De acordo com a resolução do Conselho Federal de Medicina nº 1.821/07, os documentos físicos devem ser mantidos por um mínimo de 20 anos, a menos que sejam digitalizados.

A Gestão Eletrônica de Documentos (GED) é uma alternativa que economiza tempo e espaço na organização de prontuários. A solução digitaliza, trata e armazena cada documento, por meio de scanner, um software e um servidor em nuvem, que permitem, inclusive, o acesso remoto a partir de outras unidades clínicas.

Além disso, a procura por um arquivo é instantânea, agilizando um processo de dias para segundos.

Até mesmo a impressão de exames pode ser evitadas, especialmente no setor de Radiologia, com o uso do PACS, sigla em inglês para Sistema de Arquivamento e Distribuição de Imagens.

O software implementa um fluxo para imprimir apenas exames que forem estritamente necessários.

Há, ainda, uma alternativa sustentável, que é a impressão em papel em substituição aos filmes radiológicos.

Esse recurso reduz drasticamente custos operacionais com a montagem de câmaras escuras e a destinação correta dos resíduos dos filmes radiológicos, por exemplo.

O outsourcing de impressão torna-se tendência entre pequenas clínicas a grandes hospitais, por oferecer soluções que automatizam e simplificam processos, aprimoram a infraestrutura e, sobretudo, reduzindo custos, a um investimento de valor acessível.

*Rodrigo Reis

Diretor Comercial e Sócio da Reis Office

Compartilhe!