Qualidade

Protocolo internacional para transplante de fígado em pacientes com câncer é discutido

Por Roberta Massa B. Pereira | 27.04.2016 | Sem comentários

Publicidade

Hospital Moinhos irá cooperar com centros de cirurgia da Europa e da América do Sul

Cerca de 20 especialistas internacionais discutiram uma ação inédita: a criação de um protocolo internacional para testes de transplantes hepáticos em pacientes com câncer de intestino e tumores no fígado. O tratamento – que ainda não é realizado no Brasil – passa a ser possível em caráter experimental.

A iniciativa ocorreu no Workshop de Oncologia Gastrointestinal: Controvérsias no Tratamento das Metástases Hepáticas de Câncer Colo-Retal, realizado no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre/RS.27

O coordenador do Centro de Doenças do Fígado do Hospital Moinhos de Vento, Antonio Nocchi Kalil, ressalta que o assunto é recente. “Nosso objetivo é estabelecer critérios específicos para realizar transplantes de fígado em pacientes com metástases hepáticas de câncer colo-retal”, destaca, complementando que os palestrantes presentes no evento são de países em que o procedimento já é realizado.

“A patologia abrange tumores que acometem um segmento do intestino grosso (cólon) e o reto. Esse é o terceiro tipo de câncer mais frequente no Brasil, e até 50% dos pacientes podem desenvolver metástases hepáticas ao longo da doença”, afirma Kalil. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), são estimados mais de 34 mil novos casos para 2016 no Brasil.

O protocolo internacional reunirá centros de cirurgia da Europa e da América do Sul, contando com a participação dos médicos do Hospital Moinhos de Vento. “Até 25 anos atrás, essa doença era considerada incurável. Com as cirurgias e a quimioterapia, temos evoluído e provado que esse tipo de tumor pode ser curado”, explica o chefe do Serviço de Oncologia do Hospital Moinhos de Vento, Sérgio Roithmann. E conclui: “Agora, estamos rompendo mais um dogma: a possibilidade de cura de casos metastáticos. Os primeiros resultados encontrados até o momento são promissores”.

“A partir do material gerado no encontro realizado em Porto Alegre vamos redigir um documento que servirá de base para estudos em diferentes centros do mundo. É uma união de esforços em nível internacional para obtermos os melhores resultados”, ressalta o coordenador do Centro de Oncologia Gastrointestinal do Hospital Moinhos de Vento, Rui Fernando Weschenfelder.

Estiveram presentes no workshop especialistas de Portugal, Noruega, Suíça, Holanda, Inglaterra, França, Estados Unidos e Argentina. Um dos destaques foi a participação do médico francês Henri Bismuth, diretor do Instituto Hepatobiliar Henri Bismuth. Henri é pioneiro no transplante de fígado no mundo e ajudou a criar e desenvolver técnicas inovadoras na área.

Compartilhe!