Gestão

Centro de Medicina Nuclear investe em unidade de Nova Iguaçu

Por Roberta Massa B. Pereira | 10.05.2016 | Sem comentários

Filial fechou o primeiro trimestre com um crescimento de 15% no número de atendimentos

Enquanto outras empresas vêm reduzindo os recursos destinados a investimentos, o Centro de Medicina Nuclear da Guanabara (CMNG) tem ampliado sua capacidade de atendimento à população e renovando o parque tecnológico.

Prova disso é que o CMNG deve investir R$ 2 milhões na unidade de Nova Iguaçu até o fim do ano.

No ano passado, por exemplo, a rede de exames inaugurou sua primeira unidade em Madureira, Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro.

Há um crescimento de demanda por serviços de saúde na Baixada Fluminense.

Em 2015, na unidade de Nova Iguaçu, o número de mamografias realizadas cresceu em 30% e o de tomografia computadorizada em 35%.

Os investimentos são necessários para atender essa demanda – explica o fundador e diretor da rede de diagnósticos, Antonio Fernando da Rocha.

Somente no primeiro trimestre de 2016, a filial aumentou em 15% o número de atendimentos comparado com o mesmo período do ano passado.

O resultado nos primeiros meses faz com que o CMNG projete um crescimento de 35% ao longo do ano no número de atendimentos.

A expectativa é de que a unidade eleve em 15% o faturamento em comparação com 2015.

A unidade também supre a demanda que existe em municípios vizinhos. Dados do CMNG apontam que pacientes oriundos de Queimados e Mesquita representam 40% do crescimento de atendimentos no primeiro trimestre.

Outra solução estudada para poder absorver a demanda é abrir aos domingos sempre que a agenda estiver lotada. Tal situação já ocorre em unidades como Madureira, onde já houve domingos em que foram realizados mais de 30 exames de ressonância, e em Campo Grande.

Seja por causa do trabalho ou de responsabilidades do dia a dia, há muitas pessoas que só tem o domingo como dia livre para fazer o exame com mais tranquilidade.

Por isso que procuramos oferecer mais essa data sempre que houver demanda – explica o diretor do Centro de Medicina Nuclear da Guanabara.

O horário padrão de funcionamento é de segunda a sexta, das 6h às 20h, e aos sábados, das 6h às 16h, para todos os exames: PET-CT, ressonância, TC-multislice, tomografia, densitometria óssea, mamografia, análises clínicas, radiologia geral e digital, medicina nuclear, ultrassonografia, entre outros.

Sobre o CMNG

Pioneiro na realização de exames por meio de imagens, o Centro de Medicina Nuclear da Guanabara (CMNG) se notabilizou no mercado como umas das mais respeitadas redes de exames complementares do país.

A rede, por exemplo, instalou a primeira tomografia computadorizada de corpo inteiro no Brasil, em 1974, também foi a primeira a oferecer ao mercado fluminense a Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET-TC), aparelho capaz de identificar e monitorar o tratamento de vários tipos de câncer, além de problemas cardíacos e neurológicos.

Considerado um dos equipamentos mais modernos do mundo nessa área, possibilita melhoria notável no diagnóstico e reduções nos custos do tratamento, por selecionar precocemente o mais adequado para cada caso.

Esse espírito pioneiro é constante: no passado o CMNG realizou também os primeiros diagnósticos sofisticados de Cardiologia do Rio de Janeiro, como a Radiocardiografia e a Cintigrafia do miocárdio. Saiu na frente também na oferta de outros tipos de exames como os relativos a funções pulmonares (Cintigrafia de Perfusão e de Vias Aéreas por Inalação); Cintigrafia de Vias Biliares; Estudos Renais Dinâmicos com Traçadores e Radioimunoensaios.

Fonte: EuroCom-10.05.2016

Compartilhe!