Tecnologia

Ferramenta aumenta precisão e eficiência nos cuidados de pacientes em UTI

Por Roberta Massa B. Pereira | 10.08.2016 | Sem comentários

Publicidade

Essa é a conclusão da primeira fase do projeto piloto da ehCOS SmartICU, plataforma que oferece uma análise de dados capaz de prever ou gerar alertas para uma correta tomada de decisão clínica.
A everis, consultoria multinacional especializada em negócios e tecnologia, e a NTT DATA anunciaram a conclusão da primeira fase de testes da ferramenta ehCOS SmartICU, uma plataforma projetada para melhorar o processo de atendimento em unidades de terapia intensiva (UTIs), e que permite visualizar, em tempo real, dados vitais como frequência cardíaca, pressão arterial, nível de oxigênio no sangue, histórico médico e outros.
Os testes foram desenvolvidos nas UTIs do Hospital Universitário Virgen del Rocío, em Sevilha, na Espanha. Nos primeiros três meses, 147 pacientes críticos e 95 profissionais de cuidados clínicos de três UTIs do Hospital foram beneficiados por esta tecnologia, que melhorou em mais de 10% a produtividade e a eficiência de tarefas como a gestão de sinais vitais, planos de cuidados, medicações, escalas, equilíbrio de água, perdas e relatórios clínicos.

Dica de leitura: ebook planejamento estratégico em saúde, baixe agora.

Para o desenvolvimento desta solução, foram utilizadas a plataforma tecnológica de saúde da everis, ehCOS (everis health Clinical Open Solutions) e a solução de Big Data Analytics da NTT DATA. A ehCOS SmartICU permite relacionar todas as informações, agilizando os possíveis tratamentos e a tomada de decisões clínicas, o que reduz as taxas de mortalidade e de eventos adversos evitáveis.
De acordo com Jimmy Piroutek, diretor da everis Brasil e responsável no País pela área de ehCOS, o objetivo da ehCOS SmartICU é proporcionar alertas aos médicos que atuam em situações críticas frequentes em UTIs. Por meio desses alertas, gerados pelas informações, é possível decidir o melhor método ou procedimento a ser aplicado, a medicação pertinente e evitar situações perigosas. “Acreditamos que a intervenção precoce é fundamental para reduzir a taxa de mortalidade nas UTIs”, observa.
Nessa primeira fase de testes foram utilizados dados e biossinais de 156 diferentes dispositivos, incluindo monitores, ventiladores e bombas de infusão de vários fabricantes, integrados em uma única interface intuitiva. Com isso, a ferramenta aumentou a precisão na captura de dados dos pacientes e reduziu em 10% o tempo entre a coleta das informações e a gestão dos cuidados de enfermagem e relatórios clínicos.
Usabilidade: peça-chave na adoção da tecnologia
Um dos desafios da implementação de tecnologias no setor da saúde é a sua adoção pelos usuários, principalmente pela complexidade das tarefas e pelo estresse gerado em torno dos problemas de produtividade nos primeiros meses de implementação.
“A transformação digital é um aspecto fundamental para qualquer instituição ou empresa, e, os hospitais não são exceção. Uma intervenção realizada a tempo pode ser essencial para salvar vidas em uma unidade de terapia intensiva. Com a ehCOS SmartICU, queremos oferecer aos profissionais de saúde a capacidade de reagir a complicações e emergências”, explica Dr. Eduardo Vigil, diretor médico na everis e ehCOS e integrante da equipe de pesquisa deste projeto.
Comercialização da solução a partir de novembro
Nos próximos meses, os algoritmos de previsão continuarão em validação e otimização, por meio dos dados obtidos na monitorização dos pacientes do Hospital, elevando o nível de precisão. Com o uso dos modelos preditivos validados e o sistema de alertas móvel, os profissionais de saúde poderão saber exatamente quando um  paciente está em risco ou sofre qualquer tipo de complicação.
Com os resultados dessa fase, de acordo com Piroutek, o objetivo é iniciar a comercialização da solução a partir de novembro deste ano. Em uma primeira etapa, o produto estará disponível nos mercados da Espanha e dos Estados Unidos e, posteriormente, na América Latina e Ásia.
Sobre a everis
A everis é uma multinacional de consultoria que oferece soluções de estratégia e de negócios, desenvolvimento e manutenção de aplicações tecnológicas e serviços de terceirização. A companhia, que atua nos setores de telecomunicações, serviços públicos, financeiros, industriais, de energia, e o setor de saúde, atingiu um volume de negócios de 816 milhões de euros no último ano fiscal. Atualmente, conta com quase 16 mil profissionais localizados em escritórios e centros de alto desempenho em 13 países.
A consultoria pertence ao grupo NTT DATA, uma das empresas líderes de serviços de TI no mundo, com 80 mil funcionários em mais de 40 países. A integração com a NTT DATA permite a everis expandir soluções e serviços aos seus clientes, aumentar as suas capacidades, recursos tecnológicos, geográficos e financeiros e prover respostas mais inovadoras para os seus clientes.
Sobre o Hospital Universitário Virgen del Rocío
O Hospital Universitário Virgen del Rocío, com 55 anos de história e mais de 8.000 profissionais de saúde, é uma das maiores instituições de saúde da Espanha. O Hospital atende a uma população de mais de meio milhão de habitantes, em Sevilha. É centro de referência regional e nacional nas especialidades e procedimentos mais complexos. Mais de 50.000 internações, 310.000 urgências, 61.000 cirurgias e 1.000.000 consultas, cerca de 300 transplantes e 8.300 nascimentos por ano fazem parte das principais atividades do hospital.
Sobre ehCOS
ehCOS é uma tecnologia e suíte de produtos de e-Health de classe mundial, desenvolvida pela everis para o setor da saúde, baseada em uma História Clínica Eletrônica de nova geração, focada no paciente e no melhor aproveitamento de seus dados, em benefício do processo de tomada de decisões clínicas e administrativas, aumentando a qualidade e a segurança do cuidado. A suíte se desenvolve a partir de uma inovadora e premiada arquitetura tecnológica “EXTREME compliance” (extrair, transmitir, trocar, mover e incorporar), e uma filosofia “LEGO” modular que proporciona uma resposta efetiva às necessidades de informação dos processos de saúde.
Fonte: WN&P-Comunicação-10.08.2016.
Compartilhe!