Tecnologia

Internet das coisas se aproxima da realidade na saúde

Por Roberta Massa B. Pereira | 21.10.2016 | Sem comentários

Publicidade

Até pouco tempo atrás vista como ficção científica, a internet das coisas já assume funções cotidianas com aplicações no varejo e no controle da saúde.

Sensores para monitorar condições físicas de pilotos de avião e motoristas de frotas, dispositivos para avaliar desempenho de carros.

Medidores de estoque e pontos de entrada de expediente acionados por impressão digital.

São alguns dos produtos que estão sendo ofertados no Brasil por companhias de tecnologia nacionais e estrangeiras.

Soluções para otimizar custos em comércios, indústrias e até em residências é uma das apostas da PromonLogicalis e da AES Ergos.

Por meio de sensores instalados em quadros de energia de um estabelecimento  a iniciativa visa monitorar o consumo energético de cada aparelho conectado à rede elétrica.

As informações são apresentadas por meio de gráficos em monitores e, com essa tecnologia, é possível estabelecer metas e trocar aparelhos com mau desempenho.

Na saúde

internet-das-coisas

A Nokia, que comprou a francesa Withings em maio deste ano, apresentou opções de portfólio que expandem sua atuação para a área de saúde.

Termômetro que não precisa encostar na pele, balança que dispõe de monitoramento cardíaco, apresentação de índices de gordura e de água no corpo.

Além de um relógio que monitora o ritmo do coração e contabiliza a distância percorrida, o número de passos e a quantidade de calorias gastas são soluções apresentadas.

Todos essas informações coletadas pelos dispositivos são armazenadas e apresentadas por meio de gráficos por meio de um aplicativo.

Assim, o usuário tem um controle maior sobre suas condições físicas.

Nokia e Withings ainda buscam parceiros para comercialização no Brasil desses produtos, que já são vendidos na Europa

A Everis, tem conversado com companhias brasileiras para desenvolver aplicações para um produto conhecido no Japão como Hitoe.

Uma camiseta esportiva equipada com um sensor que mede os batimentos cardíacos, a pulsação, o estresse e a postura do usuário.

O que a diferencia de outros aparatos como relógios que medem pulso é um transmissor, que envia as informações em tempo real a um interlocutor.

Que pode ser um médico, um familiar ou o empregador, segundo Adolfo Cuenca, sócio da Everis no Brasil.

Lançado há cerca de dois anos no Japão, o Hitoe (uma referência a humano eletrônico, na língua japonesa).

Já está sendo vendido para consumidores finais no país asiático por US$ 90 pela camiseta mais US$ 100 pelo transmissor.

Nos Estados Unidos, o produto já é aplicado no monitoramento de pilotos de Fórmula Indy.

Também está em testes em companhias aéreas para o acompanhamento de pilotos.

Além de outras aplicações voltadas à segurança do trabalho e demandas de empresas de saúde.

Fonte: Folha de São Paulo-21.10.2016.

Ebook Lean Six Sigma em Saúde, baixe agora o seu. 

 

 

Compartilhe!