Qualidade

HCor firma parceria com PROADI-SUS para qualificação de equipe multidisciplinar em Palmas

Por Roberta Massa B. Pereira | 29.03.2017 | Sem comentários

Publicidade

Projeto Congênitos tem objetivo de cooperar para o desenvolvimento e expansão da cirurgia cardíaca congênita no país

O HCor (Hospital do Coração), em parceria com o PROADI-SUS – Programa de Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde, iniciou o treinamento de capacitação de uma equipe multidisciplinar do Hospital Geral de Palmas (Tocantins).

Com a finalidade de desenvolver e expandir a cirurgia de cardiopatias congênitas no Estado de Tocantins, o projeto, que iniciou neste mês e termina em dezembro, vai treinar 29 profissionais de 19 especialidades como cardiologistas pediátricos, cirurgiões cardíacos pediátricos, fisioterapeutas, hemodinamicistas, entre outros.

O objetivo deste projeto é tratar, por meio de cirurgias e respectivos acompanhamentos ambulatoriais, pacientes pediátricos que convivem com cardiopatias congênitas.

Com a iniciativa, o Hospital Geral de Palmas poderá atender crianças com cardiopatias congênitas, bem como oferecer tratamento especializado, além de permitir a diminuição da fila de espera para este tipo de cirurgia.

De acordo com a coordenadora de Projetos de Filantropia do HCor (Hospital do Coração), Adriana Pedranzini, cada profissional do Hospital Geral de Palmas vai participar de um estágio observacional nas áreas de Hemodinâmica, Centro Cirúrgico, UTI, Cardiopediatria, Serviço de Arritmias, Medicina Fetal, etc, para aprenderem tanto a parte administrativa como a assistencial.

“O projeto teve início em 2009, e tem como meta tratar, de forma integral, crianças portadoras de cardiopatias congênitas complexas de diferentes regiões do país.

Atualmente os pacientes são indicados pela CNRAC (Central Nacional de Regulação de Alta Complexidade), órgão do Ministério da Saúde vinculado à Secretaria de Atenção à Saúde (SAS)”, explica Pedranzini.

Por meio deste projeto, o Ministério da Saúde espera diminuir a fila de espera no atendimento de pacientes com cardiopatias congênitas principalmente nas regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste do país.

“Já para o HCor, é extremamente importante tratar e proporcionar melhor qualidade de vida a esse grupo especial de pacientes, bem como diminuir estes vazios assistenciais (que são as regiões que têm pouco ou nenhum serviço que possa atender esta população)”, esclarece a coordenadora de Projetos de Filantropia do HCor.

Projeto Congênitos – uma parceria que deu certo: desde 2009, a parceria entre o PROADI-SUS e HCor rende bons frutos. O HCor neste período já realizou treinamentos em equipes do Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão, Hospital Francisca Mendes (Manaus) e, neste ano, com os profissionais do Hospital Geral de Palmas (Tocantins).

Segundo a cardiologista e responsável pelo Serviço de Cardiologia Pediátrica e Cardiopatias Congênitas do HCor, Dra. Ieda Jatene, além do atendimento de crianças com cardiopatias congênitas, o HCor foi pioneiro e responsável pelo desenvolvimento do primeiro centro de cardiologia pediátrica em Manaus, com a qualificação em cardiologia pediátrica de 29 profissionais do Hospital Francisca Mendes, pelo corpo clínico do HCor.

“No ano passado, a qualificação foi destinada a 28 profissionais do Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão, responsáveis pelo atendimento a pacientes cardiopediátricos. 50% dos portadores de cardiopatias congênitas devem ser operados no primeiro ano de vida, o que totaliza uma necessidade superior a 11.500 novos procedimentos/ano no Brasil”, aponta Dra. Ieda Jatene.

O ambulatório de cardiopatias congênitas do HCor atende oito pacientes por mês encaminhados via CNRAC para consultas e exames, que são submetidas a cateterismo e/ou cirurgias de alta complexidade na sequência do atendimento, de acordo com a disponibilidade de leitos do HCor.

“O SUS (Sistema Único de Saúde) se responsabiliza pelo pagamento de passagens ida e volta do paciente e do seu acompanhante – do Estado de origem até São Paulo. Já a estadia na ONG ACTC (Casa do Coração), bem como alimentação durante todo o período de internação são custeadas pelo HCor”, relata Dra. Ieda.

Fonte: Target Assessoria de Comunicação-29.03.2017.

Ebook Planejamento Estratégico em Saúde, baixe agora o seu.

Compartilhe!