Saúde

SUS dá banana para a ciência

Por Roberta Massa B. Pereira | 26.04.2017 | Sem comentários

O tom da Folha era de lamento. Na primeira página, ela deu: “Oferta de terapias alternativas no SUS ainda é baixa”.

Na manchete interna, estampou: “Cresce busca por terapia alternativa no SUS, mas oferta ainda é pequena”.

Será que devemos mesmo deplorar que práticas como reiki, homeopatia, crenoterapia, reflexoterapia etc. ainda não tenham se disseminado no sistema público de saúde?

O primeiro ponto a destacar é que essas terapias tendem a funcionar, ainda que não pelas razões derramadas por seus entusiastas.

Um exemplo. Para o reiki agir como querem seus praticantes, seria preciso revisar quase tudo o que sabemos de física e admitir que forças misteriosas jamais registradas por nossos instrumentos fluem pelas mãos de alguns iluminados e têm poder curativo.

Só que a física também nos diz que o cérebro humano é um órgão complexo.

Entre suas extravagâncias está o efeito placebo, que faz com que os sintomas de certas doenças diminuam pela simples sugestão de que o paciente está recebendo um tratamento.

Descrevemos o efeito placebo meio pejorativamente como algo que está “só” nas nossas cabeças, mas ele é real, mensurável e poderoso.

Como essas práticas alternativas funcionam ao menos como efeito placebo —se há benefícios adicionais, eles ainda precisam ser demonstrados em estudos controlados e metanálises—, não há dúvida de que podem fazer o paciente sentir-se melhor.

Considerando-se que elas dificilmente fazem mal, não haveria grande problema em adotá-las.

Eu, porém, faço duas objeções. A primeira diz respeito a custos.

Será que, num instante em que faltam recursos para tudo no SUS, faz sentido investir em práticas cuja eficácia extraplacebo não foi estabelecida?

A outra é de ordem ética. Ao incorporar a litania mística que acompanha essas terapias e pô-la no mesmo nível da medicina baseada em evidências, o SUS dá uma banana para a ciência.

Fonte: Folha de São Paulo-26.04.2017.

Ebook Planejamento Estratégico em Saúde, baixe agora o seu.

Planejamento Estratégico em Saúde

Compartilhe!