Gestão

ANS realiza audiência pública sobre compartilhamento de riscos na saúde sumplementar

Por Roberta Massa B. Pereira | 18.10.2017 | Sem comentários

Publicidade

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) vai regulamentar o compartilhamento de riscos no setor e realizou uma audiência pública para debater com a sociedade temas como a responsabilidade da operadora e o impacto para os beneficiários.

O evento contou com a participação de mais de 60 representantes de operadoras de planos de saúde, que deram sugestões sobre a nova normativa que está sendo elaborada pela Agência.

Com objetivo de dar maior transparência sobre a utilização dos beneficiários em operações de corresponsabilidade para atendimento de forma continuada.

Na abertura, o diretor-presidente substituto, Leandro Fonseca, falou que a minuta de normativa foi elaborada após a realização de cinco reuniões da Câmara Técnica responsável sobre o assunto.

Segundo ele, “os próximos passos são consolidar as contribuições e formatar a versão final para ser apreciada em reunião da Diretoria Colegiada”.

O evento foi conduzido por Washington Alves, gerente de Habilitação e Estudos de Mercado da ANS, que fez uma apresentação sobre a proposta de resolução normativa.

ANS: Audiência pública compartilhamento de Riscos da Saúde Suplementar 

Também houve apresentação de três modelos de compartilhamentos de riscos:

Corresponsabilidade entre as operadoras para atendimento aos beneficiários, para oferta conjunta de planos e possibilidade de criação de fundos mútuos para despesas assistenciais (neste terceiro método, a ANS usou como base o modelo das operações de cosseguros).

Segundo ele, “as contribuições foram boas para a reflexão sobre aspectos operacionais”.

Um dos pontos apresentados na audiência foi a motivação para o compartilhamento de riscos.

Entre as razões estão a viabilização de atendimento de beneficiários em local que operadora não possui relação contratual direta com rede e estratégia comercial/mitigação de riscos operacionais e financeiros – ganhos de escala e expertise com operação de planos.

Os representantes de operadoras deram sugestões sobre pontos específicos da minuta da normativa e solicitaram esclarecimentos sobre a proposta.

A nova resolução normativa deve ser aprovada até o final do ano e sua entrada em vigor está prevista para o início de 2018.

Fonte: ANS – 18.10.2017.

Ebook Planejamento Estratégico em Saúde, baixe agora o seu.Planejamento Estratégico em Saúde

 

 

Compartilhe!