Gestão

Fundador da Anahp conversa sobre saúde, futuro dos hospitais e gestão

Por Roberta Massa B. Pereira | 17.01.2018 | Sem comentários

Publicidade

À frente do Conselho de Administração da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp) desde 2012, Francisco Balestrin fechou o ano de 2017 com um novo desafio:

Comandar uma das mais importantes instituições de hospitais do mundo, a International Hospital Federation (IHF), entidade mundial que congrega mais de 50 mil hospitais.

A posse aconteceu no dia 8 de novembro de 2017, em Taiwan, durante o 41º Congresso Mundial de Hospitais, evento promovido pela IHF.

Os seus próximos passos e avaliação do papel do gestor hospitalar foram tema dessa entrevista exclusiva à Hospitalar.

Graduado em medicina, Balestrin é um dos fundadores da Anahp.

O médico fez residência em Administração em Saúde no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

É especialista em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da USP, e em Administração Hospitalar pelo PROAHSA, da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Em seu currículo, carrega ainda títulos como o de especialista em Administração em Saúde pela Associação Médica Brasileira (AMB).

Vice-presidente executivo e diretor médico corporativo do Grupo VITA e membro da Academia Brasileira de Administração Hospitalar (ABAH).

Lean Six Sigma

Nesta conversa, Balestrin falou sobre gestão, futuro dos hospitais, segurança da informação e o papel da IHF.

Hospitalar – Conte-nos sobre seu novo desafio a frente da IHF.

Francisco Balestrin – A Federação tem como suas atribuições o incentivo à cooperação internacional na área de saúde.

E à melhoria permanente do atendimento aos pacientes em todo o mundo.

A Federação congrega hospitais, associações hospitalares e organizações de saúde.

Além de contribuir com os hospitais na ampliação do nível de serviços com segurança e qualidade e oferecer suporte para a educação continuada de seus profissionais.

Para o Brasil ter a presidência da IHF é uma honra, pois é um reconhecimento da força dos hospitais brasileiros e do nosso modelo de gestão.

Hospitalar – Como a IHF pode contribuir para o Brasil?

FB – A IHF desenvolve projetos importantes e pode nos render muitas sinergias.

Estamos divulgando as orientações e inscrições de projetos brasileiros para o Congresso Mundial de Hospitais.

Uma chance de levarmos o que fazemos em nossas organizações para uma vitrine mundial.

A entidade tem também parceria com organizações como a Cruz Vermelha Internacional, a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Banco Mundial e a International Society for Quality in Health Care (ISQua), que pode nos ajudar no intercâmbio de boas práticas.

Hospitalar – O que um gestor de saúde precisa ter?

FB – Precisa ter uma visão ampla de sua comunidade e de seu entorno e ter consciência dos impactos e dos desafios da sociedade em que vivemos.

Acredito na necessidade de aprofundar o conhecimento sobre a mudança do perfil epidemiológico dos brasileiros e adaptar as ações para esse novo perfil.

Que viverá mais e conviverá com doenças crônicas até o fim da vida.

Hospitalar – O futuro da saúde foi tema inclusive do último Conahp. Para você, como deve ser o hospital do futuro?

FB – São hospitais organizados em rede, que alcançam o paciente fora do ambiente hospitalar, principalmente em casa, no trabalho e no dia a dia, usando aplicativos.

Também são especializados, nos quais os profissionais estão focados não somente nos pacientes, mas também no desenvolvimento de novas tecnologias e novos processos.

E, por fim, são instituições que têm o que chamamos de estruturas abertas: acessíveis para a sociedade como um todo, para o desenvolvimento científico e educacional.

Hospitalar – Um novo modelo de hospital precisará de um gestor mais preparado. Como você enxerga isso?

FB – No 5º Conahp debatemos o papel de liderança dos hospitais nos sistemas de saúde do futuro.

Liderar essas instituições não é e não será tarefa fácil.

O gestor do presente e do futuro tem enorme responsabilidade na formação dos profissionais e dos talentos que lidera.

Além disso, o executivo também é peça fundamental nessa evolução.

Apresentamos no Conahp uma plataforma de autoavaliação de competências para executivos de saúde.

Trazida para o Brasil pela Anahp e pelo Colégio Brasileiro de Executivos da Saúde (CBEXs).

Hospitalar – O futuro da saúde anda junto com o avanço da tecnologia, mas como as instituições podem garantir a segurança da informação do paciente?

FB – Grande parte das instituições hospitalares possui parceiros e terceirizados, que estão em serviços de diagnósticos, por exemplo.

É fundamental que os contratos firmados contenham cláusula de confidencialidade.

Obrigando o parceiro e todos os envolvidos na prestação dos serviços a manter o sigilo das informações mesmo após o fim da relação contratual.

Hoje em dia há várias ferramentas importantes, como a Autenticação Individual de Usuários.

Em que todos os profissionais da instituição devem ter um identificador único (ou um log-on ID) para uso em todos os sistemas da instituição.

A Anahp se preocupa e estimula o desenvolvimento de códigos de conduta entre seus associados.

Hospitalar – A Hospitalar e a Anahp fecharam uma parceria estratégica para 2018.

Quais serão os benefícios disso para o mercado?

FB – Um rico conteúdo técnico produzido há anos pela Anahp estará à disposição de todos os parceiros da Hospitalar.

Será muito significativo fazer com que nosso conteúdo, através do evento Hospital Summit.

Onde são abordados temas do dia a dia hospitalar, seja colocado à disposição dos gestores e líderes de saúde de todo o Brasil.

Fonte: Hospitalar -17.01.2018.

Ebook Planejamento Estratégico em Saúde, baixe agora o seu.Planejamento Estratégico em Saúde
Compartilhe!