Inovação

Startup cria robô que tira dúvidas sobre febre amarela via Messenger

Por Roberta Massa B. Pereira | 15.02.2018 | Sem comentários

A Tá.Na.Hora Saúde Digital, finalista do Prêmio Empreendedor Social de Futuro 2016, acaba de criar um serviço inédito: Um robô que tira dúvidas da população sobre a doença pelo Messenger.

Ao acessar a página Tinah Bot no Facebook, o internauta terá acesso a informações e pode dar início a um chat.

“Vamos conversar sobre a Febre Amarela?

Se informar é o primeiro passo para a prevenção!”, convoca a robô.

Diante do aumento de pesquisas na internet sobre a doença, além da proliferação de notícias falsas e alarmistas sobre a transmissão da doença e a letalidade da vacina.

A equipe da Tá.Na.Hora desenvolveu o serviço de utilidade pública em três dias.

“Além do baixo custo, os ‘bots’ na rede social podem engajar mais pessoas”, explica Mariana Negrão, coordenadora do projeto.

A febre amarela virou prioridade na startup social que usa tecnologia para informar e levar noções de saúde para a população.

“Decidimos parar com o que estávamos fazendo para os clientes e abrimos para a população”, diz Michael Kapps, cofundador da Tá.Na.Hora.

A proposta é uma comunicação leve, mais próxima da linguagem humana, e que atinja diversos públicos com conteúdos com informações difundidas por fontes oficiais.

Lean Six Sigma

Ao clicar no link e dar uma curtida na página, automaticamente Tinah começa a interagir, chamando pelo nome de quem puxou a conversa:

“Olá, como vai? [nome]. Eu sou Betina, mas pode me chamar de Tinah. Sua assistente pessoal de saúde”.

A partir daí, está apta a responder perguntas, tais como “Como posso me prevenir?”, “Onde posso me vacinar?”, “Quem pode tomar a vacina?” e “Macacos transmitem febre amarela?”.

Além de respostas às questões objetivas, os usuários recebem informações gerais como “Mitos e Verdades” sobre febre amarela, e gifs e memes populares nas redes sociais sobre o tema.

“As pessoas contam casos, agradecem pelas informações”, relata Negrão.

Para aqueles que ainda não tomaram a vacina, a robô vai fazer alertas periódicos ao longo de quatro semanas.

“A expectativa é chegar a milhares de pessoas”, afirma Kapps.

A startup cria robôs inteligentes para a gestão de saúde da população.

Em 2017, trabalhou em parceria com a prefeitura de Marechal Deodoro, região litorânea de Alagoas.

Por meio de avisos enviados por SMS sobre os perigos de dengue e outras doenças após as enchentes, por exemplo.

Fonte: Folha de São Paulo – 15.02.2018.

Ebook Planejamento Estratégico em Saúde, baixe agora o seu.Planejamento Estratégico em Saúde
Compartilhe!