Gestão

Gestores hospitalares acreditam que entrega de valor no desfecho clínico requer mais resolutividade

Por Roberta Massa B. Pereira | 08.05.2018 | Sem comentários

O hospital tem que ser resolutivo. Isto é, dar ao paciente a solução para o problema apresentado em tempo hábil e com muita eficiência.

E há um fator importante que permeia essa relação: o custo – não importa se a instituição é particular ou pública.

A equação do valor para o desfecho clínico exitoso foi um dos temas debatidos por quase 400 profissionais ligados à área da saúde.

Entre médicos, enfermeiros, estudantes e, principalmente, gestores hospitalares de Mato Grosso.

Durante o 3º Simpósio do Hospital Santa Rosa em Gestão Hospitalar, que aconteceu nos dias 3 e 4 de maio, em Cuiabá (MT).

O evento realizado pelo Hospital Santa Rosa trouxe a Cuiabá diversos nomes renomados no setor de gestão hospitalar.

Entre eles, o presidente da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), Eduardo Rahme Amaro;

O presidente da Federação Internacional dos Hospitais (IHF), Francisco Balestrin;

A diretora Executiva da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), Martha Oliveira;

O gerente de Experiência do Paciente do Hospital Sírio Libanês, Marcelo Alves Alvarenga, e o professor Mário Sérgio Cortella.

Cadeia de cuidados

O vice-presidente da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), Ary Ribeiro.

Destacou o importante papel do gestor hospitalar que precisa gerir uma cadeia de cuidados com muita eficiência para obter sucesso no desfecho clínico.

“Também é importante o entendimento do papel do hospital na cadeia de cuidados, que é o de recuperar a saúde e tornar a vida das pessoas melhor.

E se não for possível recuperar a saúde, aliviar o sofrimento com dignidade”, disse Ribeiro.

Conforme explanou, para que o paciente tenha sucesso na sua jornada de tratamento um aspecto fundamental é o de seguir um protocolo de qualidade e de segurança assistencial.

“Como é o caso do Hospital Santa Rosa em Mato Grosso, que possui Acreditações que garantem o cumprimento desses protocolos”.

O diretor Geral da Sociedade Beneficente Israelita Albert Einstein, André Alexandre Osmo.

Explica que nem a internação longa e nem as reinternações são boas para o hospital, em termos de gestão e custo.

“O tempo ideal de uma internação gira em torno de três dias, onde o hospital consegue recuperar suas despesas.

Depois disso, o hospital já tem um custo maior do que recebe”.

De acordo com Osmo, a entrega do serviço hospitalar com qualidade passa pela boa resolutividade.

Boa permanência na instituição, menor tempo possível de hospitalização e evitar as reinternações.

O grande entrave para não se ter um desfecho clínico exitoso está na falta de informação do que acontece com o paciente e no setor da gestão.

“O desfecho clínico depende do cumprimento das funções de cada indivíduo que tem contato com o paciente.

Se o funcionário da limpeza entende seu papel na cadeia, saberá se portar como um ente que está contribuindo para o bom resultado dessa cadeia de cuidados”.

 Anuário Santa Rosa

Durante o Simpósio foi lançado o Anuário 2017 do Hospital Santa Rosa contendo todas as informações estruturais, de gestão, financeira e inovações da instituição.

“Trata-se de mais uma ferramenta de transparência na gestão hospitalar.

É preciso trabalhar com transparência e se ter informação para se fazer uma boa gestão”, falou o diretor presidente do Grupo Santa Rosa, José Ricardo de Mello.

Simpósio

Promovido pelo Santa Rosa, o evento tem como foco reunir profissionais da área de saúde, empresários do segmento, médicos e estudantes de medicina.

A ideia é apresentar informações que visem ampliar as relações comerciais, humanas, sociais e tecnológicas.

Em sua terceira edição, o simpósio traz como tema central “Relacionamento com Geração de VALOR para o Paciente”.

“Discutir a saúde é o que a saúde precisa. Investir em ações que possam difundir conhecimento é primordial para a garantia de sua qualidade, sustentabilidade e segurança.

Se novos olhares guiam o futuro, antes temos como desafio compreender o passado e avaliar o presente.

Tanto que temos um tema atual e contamos com palestrantes e convidados de prestígio nacional e internacional que pensam o setor de forma inteligente”, reforça Mello.

Acreditação

Ao completar 20 anos, o Santa Rosa é o único hospital de Mato Grosso certificado pela Acreditação Canadense, nível Diamond.

Uma das principais certificações de qualidade em saúde no mundo.

A instituição também é certificada Excelência, Nível III, pela Organização Nacional de Acreditação (ONA).

Fonte: Portal Hospitais Brasil –  08.05.2018

Ebook Lean Six Sigma em Saúde, baixe agora o seu.

Ebook Lean Six Sigma em Saúde

 

Compartilhe!