Qualidade

Hospital Santa Catarina de Blumenau busca acreditação JCI

Por Roberta Massa B. Pereira | 22.06.2018 | Sem comentários

Publicidade

Instituição com longa caminhada na busca por padrões de excelência no cuidado prestado aos pacientes, o Hospital Santa Catarina de Blumenau encontrou na acreditação da Joint Commission International (JCI) a chance de ter uma visão mais detalhada e sistêmica dos processos internos.

De acordo com a supervisora da Qualidade da unidade, Karina Paris, “a uniformidade dos processos na instituição.

Assim como nos serviços terceiros, alcançada pelos padrões JCI.

Garante maior segurança na condução dos mesmos”. Segundo ela, há uma preocupação de que a segurança e a qualidade se reflitam ‘na ponta’.

Ou seja na prestação do cuidado, conduz a instituição, seus colaboradores e médicos para um nível mais elevado de entrega.

“A parceria com o serviço terceiro se estreita e juntos todos buscam a excelência”, explica.

Para iniciar o processo de acreditação, a equipe do Hospital contou com a expertise do Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), associado da JCI no Brasil.

“Os trabalhos de educação desenvolvidos pelo CBA junto ao nosso Hospital têm sido de suma importância para o início dessa caminhada.

A capacitação no manual por especialistas permite maior entendimento dos padrões e uma interpretação clara do que se está pedindo nos elementos de mensuração.

Levando assim a construção de planos de ação pertinentes”, sublinha Paris.

Lean Six Sigma

De acordo com ela, a semana de diagnóstico foi muito produtiva e de grande aprendizado.

“Ter três especialistas avaliando os processos da instituição e ao mesmo tempo contribuindo com seus conhecimentos.

Deu às lideranças e colaboradores um apoio importante para o desenvolvimento do trabalho futuro”, destaca.

Além da semana de diagnóstico, a instituição também contou com a visita de um consultor do CBA.

Para ministrar uma aula de capacitação sobre o Manual JCI para Hospitais – 6ª edição ao grupo de líderes.

“A participação dos líderes e colaboradores no processo de avaliação diagnóstica mostrou que todos estão engajados.

Na implementação das melhorias necessárias e com os gaps identificados”, comemora Paris.

Segundo a supervisora, com a vantagem de o hospital já trabalhar a cultura da qualidade no seu dia a dia.

As equipes têm mais facilidade na implementação dos padrões da JCI.

Além disso, a maioria das oportunidades de melhoria identificadas são ajustes nos processos já existentes na instituição.

A exceção fica por conta da construção do processo de avaliação do corpo clínico, já embrionariamente iniciado pelo hospital há alguns anos.

“Esse é um processo complexo, que incluí não somente a construção de dados, mas a mudança de cultura da equipe médica.

E portanto, é um dos pontos de atenção do grupo de médicos que irá trabalhar os padrões da JCI relacionado aos processos médicos”, explica.

A avaliação será trabalhada por um grupo de médicos, criado no início do processo de acreditação.

Com representantes das principais áreas assistenciais, que irão apoiar na implementação das melhorias relacionadas aos processos médicos e na disseminação junto ao corpo clínico.

“Esse grupo será coordenado pela médica da Qualidade e todos são subordinados ao superintendente médico Dr. Mario Celso Schmitt.

Como supervisora da Qualidade, a orientação ao grupo será de minha responsabilidade.

E entendo que com essa estrutura de trabalho as dificuldades serão minimizadas”, diz Paris.

Para verificar se o conhecimento sobre os padrões da JCI está sendo assimilado, Paris explica o vem sendo desenvolvido na instituição desde 2017.

“Temos um trabalho interno, em que eu e o médico da Qualidade realizamos avaliações tracers nas unidades.

Esse trabalho nos permite avaliar não só os processos, mas o quanto os colaboradores e líderes têm conhecimento sobre eles.

Essa atividade ajuda na disseminação das práticas de excelência e na educação continuada das equipes.

Assim como na identificação de melhorias contínuas para a manutenção dos processos de excelência.

Outra forma que utilizamos para verificar o conhecimento é a avaliação de diagnóstico, que junto ao diagnóstico interno.

Realizado pelas lideranças de capítulos e pela Qualidade, dará subsídios para evoluir em planos de ação e programas de educação continuada”, conclui.

Fonte: CBA – 22.06.2018.

Ebook Lean Six Sigma em Saúde, baixe agora o seu.Ebook Lean Six Sigma em Saúde
Compartilhe!