Negócios

Albert Einstein assume hospital em Goiás

Por Roberta Massa B. Pereira | 15.08.2018 | Sem comentários

O Hospital Albert Einstein, que há cerca de seis anos presta consultoria administrativa e médica para outros hospitais, ampliou o escopo desse trabalho e acaba de assumir a gestão do Hospital Órion, em Goiânia.

O contrato é de dez anos, mas nesse período o Einstein pode vir a comprar o hospital, que receberá investimentos de R$ 350 milhões, incluindo obras civis e equipamentos. A inauguração está prevista para maio de 2019.

“Esse é um projeto base. Se der certo, podemos ampliar esse trabalho para outros hospitais”, disse Sidney Klajner, presidente do Hospital Albert Einstein.

O hospital Órion é a âncora de um complexo imobiliário de 130 mil m2 que conta com hotel, shopping center e um prédio com mais de 630 salas comerciais e consultórios — batizado de Órion Business & Health Complex — localizado em uma área nobre de Goiânia.

“Estimamos que o valor de mercado do complexo será de R$ 1 bilhão. Já investimos R$ 450 milhões em obras civis”, disse Frank Guimarães de Campos, diretor da GVC Incorporadora.

A GCV é uma das investidoras do projeto ao lado da FR Incorporadora, Tropical Urbanismo e Joule Engenharia.

“Decidimos apostar num projeto com foco em saúde porque antes o terreno era ocupado pela sede e clube da Associação Médica de Goiás e após muitas pesquisas constamos que não havia nenhum empreendimento com esse perfil”, afirmou Campos.

Segundo Klajner, a oferta inicial dos empreendedores era a venda do hospital, mas a ideia de aquisição estava fora dos projetos do Einstein.

Como alternativa, o grupo paulista ofertou seu trabalho de consultoria já realizado para empresas como a Américas Serviços Médicos, rede de hospitais e clínicas da UnitedHealth, dona da Amil, e o Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre.

De acordo com o diretor da GVC Incorporadora, após três anos de atividades, o valor de mercado do hospital Órion deve ser de cerca de R$ 550 milhões.

O Einstein receberá nos primeiros anos uma remuneração fixa e um percentual do Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês) após a maturação do hospital.

O novo hospital de Goiânia, que estampará as bandeiras Órion e Einstein Gestão Hospitalar, já inicia suas atividades trabalhando com um modelo de remuneração baseado em performance acertado com as operadoras de planos de saúde.

O projeto prevê ainda uma parceria em que os pacientes de altíssima complexidade internados na unidade de Goiânia possam ser tratados no Einstein, de São Paulo.

O Órion iniciará atividades com 140 leitos, mas com capacidade para 240 unidades de internação.

É a primeira vez que o Einstein assume a gestão de um hospital privado.

A única experiência semelhante é na área pública com o Hospital Municipal Dr. Moysés Deutsch — M’Boi Mirim, na capital paulista, cujo contrato foi firmado em 2008 e dura até hoje.

Fonte: Valor-15.08.2018.

Ebook Planejamento Estratégico em Saúde, baixe agora o seu.

Compartilhe!