Saúde

Brasil lança plano contra superbactérias e hospitais racionalizam antibióticos

Por Roberta Massa B. Pereira | 08.01.2019 | Sem comentários
A guerra contra as bactérias e outros micro-organismos está reunindo hospitais, médicos, governo e indústria farmacêutica na mesma trincheira.

Com alguns micróbios capazes de sobreviver aos antibióticos mais poderosos já criados, o medo é que as infecções causadas por eles matem milhões de pessoas nos hospitais nas próximas décadas.

O problema já assombra o presente.

De acordo com estimativas do governo britânico, 700 mil pessoas morrem anualmente por causa de infecções e, em três décadas.

O número de mortos em decorrência apenas de infecções por supermicróbios pode chegar a 2,4 milhões, segundo uma estimativa da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

O custo para lidar com esse cenário um tanto catastrófico também seria enorme, de cerca de € 3,5 bilhões (R$ 14,9 bilhões) anuais.

Uma estimativa americana aponta que de 20% a 50% dos tratamentos com antibióticos naquele país ou são incorretos ou são desnecessários.

 Ou seja, o remédio é usado para casos mais simples, que não precisariam de antibiótico, ou o remédio errado é usado para tratar determinada infecção.

Fonte: Folha de São Paulo – 08.01.2019

Ebook Lean Six Sigma em Saúde, baixe agora o seu.

Compartilhe!