Gestão

Presidente do Hospital Albert Einstein deve assumir Amil

Por Roberta Massa B. Pereira | 04.08.2016 | Sem comentários

A UnitedHealthcare Brazil, dona da Amil, deve ter um novo CEO a partir de janeiro.

O nome mais provável para o cargo é do médico Claudio Lottenberg, atual presidente do Hospital Albert Einstein, em substituição ao fundador da operadora de planos de saúde Amil, Edson Bueno, segundo o Valor apurou.

O mandato de Lottenberg como presidente do Eisntein termina em dezembro deste ano. O médico ocupa esse posto há 15 anos e não pode ser mais reconduzido.

Procurado pela reportagem, Lottenberg negou que tenha aceito o convite de Bueno e explicou que seu foco atualmente é encontrar um substituto para a presidência do Einstein.

“Não tem nada de concreto. Minhas atenções estão voltadas para encerrar o processo na instituição que estou hoje”, disse Lottenberg, informando ainda que no próximo ano assume a liderança do conselho do hospital.

Ainda segundo Lottenberg, já há um nome praticamente certo para presidência do Einstein, mas isso só será definido numa eleição da comunidade judaica.

Ele pontuou que a substituição não é uma missão fácil: é necessário encontrar um médico jovem, respeitado, e que aceite trabalhar como voluntário – não há remuneração para a posição de presidente executivo.

Dica de leitura: ebook planejamento estratégico em saúde, baixe agora!

Já na UnitedHealthcare Brazil, o cargo de CEO foi criado há cerca de três meses. A Amil passa por uma grande reestruturação e foi dividida em três negócios: planos de saúde, hospitais e tecnologia.

A companhia foi adquirida em 2012 pela americana UnitedHealthcare, um dos maiores grupos de saúde do mundo, numa transação de quase R$ 10 bilhões. Bueno permaneceu à frente do negócio.

Segundo fontes do setor, o empresário procura há algum tempo um substituto. Na época da venda da Amil para UnitedHealth em 2012, foi divulgado que Bueno deixaria o comando da operação até setembro de 2017.

A troca na presidência é complexa porque Bueno é um dos ícones do setor de saúde no país e seu sucessor precisa ter também um nome forte na área.

Bueno fundou a maior operadora de plano de saúde do Brasil, com 5,7 milhões de usuários e é conhecido por estar sempre um passo a frente do seus concorrentes: a Amil foi uma das pioneiras a ter uma rede verticalizada de hospitais e foi a primeira empresa de convênio médico brasileira a ser vendida para um grupo internacional.

Atualmente, Bueno é dono da maior companhia de medicina diagnóstica do país, a Dasa, que passa por uma profunda reestruturação, e de uma rede de hospitais, segmento considerado a bola da vez no setor de saúde.

A própria UnitedHealth acaba de criar uma rede com 22 hospitais da Amil para atender pacientes dos demais convênios médicos.

Essa rede, batizada de Américas Serviços Médicos, é composta por hospitais como Samaritano (São Paulo e Rio), Paulistano, Pro Cardíaco, TotalCor, Santa Joana (Pernambuco), entre outros.

Esse negócio passa a ser comandado por Luiz de Luca que, até então, presidia o Samaritano de São Paulo. Com isso, a Américas Serviços Médicos se posiciona como um dos maiores grupos hospitalares do país.

A líder é a Rede D’Or com mais de 30 unidades. A Amil tem ainda 10 hospitais exclusivos para seus conveniados, que também podem usar os demais 22  da rede Américas.

Fonte: Valor Econômico-04.08.2016.

 

 

Compartilhe!