Saúde

Início da vacinação pública exclui grupo com mais mortes por gripe

Por Roberta Massa B. Pereira | 11.04.2016 | Sem comentários

Publicidade

Portadores de diabetes e de doença cardiovascular crônica, pessoas obesas, imunodeficientes e com doenças neurológicas ou renais crônicas.

Todos com essas condições têm mais risco de desenvolver complicações quando infectados pela gripe, mas não foram incluídos na fase inicial da campanha de vacinação contra a H1N1 e a gripe tipo B-a menos que sejam crianças pequenas ou idosos.

Na Grande São Paulo, as vacinas começaram a ser aplicadas na rede pública na semana passada, inicialmente com a imunização dos agentes de saúde.

A partir desta segunda-feira (11), também estarão disponíveis vacinas para crianças (entre seis meses e cinco anos de idade), idosos (60 anos ou mais) e grávidas.

Para as pessoas com doenças crônicas, a vacinação começa no dia 18 de abril. É preciso apresentar receita médica para receber a dose.

De acordo com estimativas oficiais, cerca de 8,1 milhões de pessoas apresentam fatores de risco para o influenza no Brasil. No ano passado, 90% delas foram imunizadas.

Neste ano, foram registrados 76 óbitos de brasileiros a partir de complicações causadas pela gripe. Desse total, em 53 casos estava presente algum fator de risco -os pacientes eram idosos (em 21 casos) e/ou tinham um agravante, como doença crônica.

Considerando-se o Estado de São Paulo, até março de 2015, 75% das 59 pessoas que morreram por agravamento da gripe apresentavam algum fator de risco.

O fato de muitos adultos jovens terem apresentado complicações da gripe chamou a atenção de especialistas. O que ocorre, segundo os médicos, é que muitas pessoas com doenças crônicas não sabem que estão no grupo de risco.

Além disso, alguns hipertensos ou diabéticos, por exemplo, não se consideram doentes e, portanto, não vão se vacinar contra a gripe.

De acordo com o infectologista Esper Kallás, professor da USP, é correto focar a vacinação em todos os que integram o grupo de risco.

“Vacinar a população toda, mostram os estudos, não iria barrar muito mais a circulação do vírus. E as complicações nas pessoas saudáveis entre 5 e 59 anos também são bem menores”, afirma o especialista.

Vacinação

Mulheres que tiveram bebê há menos de 45 dias também estão no grupo com vacinação disponível a partir do dia 18. Quem tem Síndrome de Down ou outras alterações genéticas semelhantes poderá tomar a vacina nessa mesma data.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde do Estado, a diferença de uma semana na data de início da campanha de vacinação dos dois grupos (dias 11 e 18) se dá apenas por uma questão de logística.

Fonte: Folha de São Paulo-11.04.2016

Compartilhe!