Gestão

Índice da ANS atesta progressos na prestação do serviço privado

Por Roberta Massa B. Pereira | 27.09.2016 | Sem comentários

Publicidade

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou os resultados do Programa de Qualificação da Saúde Suplementar – avaliação anual do desempenho das operadoras de planos de saúde.

A partir do ano-base 2015, o Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS) mostra que, das 975 empresas avaliadas, sendo 695 do segmento médico-hospitalar e 280 exclusivamente odontológicas, 25,9% obtiveram nota entre 0,80 e 1,00 (nota máxima) e 54,9% ficaram com pontuação entre 0,60 e 0,79 – o que representa, nessas duas faixas somadas, uma abrangência de 94,6% do total de beneficiários registrados no ano passado (64,8 milhões).

“É mais um sinal claro da evolução do sistema de saúde suplementar, que está aperfeiçoando a qualidade do atendimento prestado e o relacionamento junto aos consumidores.

Claro, que, obviamente, há espaço para melhorar ainda mais o desempenho. Mas esse resultado mostra que estamos no caminho certo”, afirma Solange Beatriz Palheiro Mendes, presidente da Federação Nacional de Saúde Suplementar (Fenasaúde) – entidade representativa de operadoras de planos e seguros de assistência à saúde.

O IDSS aponta, ainda, que houve um número maior de operadoras que subiram de faixa em relação as que desceram em comparação entre os anos-base 2014 e 2015. Do total de 975 empesas avaliadas, 302 (31%) mudaram de um nível mais baixo para um superior, enquanto 175 (18%) caíram de um patamar superior para outro inferior.

O programa da ANS permite que o beneficiário acompanhe de perto a qualidade de atendimento prestado pelo seu plano de saúde. Para as seguradoras e operadoras, trata-se de uma forma de monitorar e aprimorar os serviços oferecidos – um estímulo a mais à concorrência no setor.

Atualmente, são 48,3 milhões de beneficiários de planos de assistência médica e 22,3 milhões de consumidores em planos exclusivamente odontológicos que compõem o setor de planos de saúde no Brasil.

Fonte: ANAHP-27.092016.

Indicação de leitura: Ebook Lean Six Sigma em Saúde.

Compartilhe!