Saúde

Hospital Sepaco transfere 42 bebes da UTI após principio de incêndio

Por Roberta Massa B. Pereira | 09.06.2017 | Sem comentários

Um princípio de incêndio na unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Sepaco, na Vila Mariana, Zona Sul de São Paulo, provocou correria e fez com que mães e 42 bebês fossem retirados às pressas na madrugada desta quinta-feira (8).

Um bebê teve parada cardíaca após funcionários do hospital desligarem subitamente o aparelho que o ajudava a respirar.

A correria começou por volta da meia-noite. De acordo com a administração do hospital, um curto-circuito em um equipamento que aquece os leitos causou um princípio de incêndio na UTI neonatal, no terceiro andar do edifício.

Segundo Luci Meire, superintendente operacional do Sepaco, a fumaça intensa que se formou no local exigiu a retirada de todos que estavam lá.

Adriana Fraga da Silva Pereira conta que o princípio de incêndio ocorreu ao lado do leito onde o filho dela, Miguel, de apenas quatro meses, recuperava-se de uma cirurgia.

“Dois moços da manutenção me pediram licença e foram trocar uma tomada.

Só que aí de repente deu um estalo e aí ele falou que ia tirar todas as tomadas”, relembra.

“Ele começou a tirar todas as tomadas e meu filho estava entubado na máquina de entubação.

Quando ele tirou os tubos, a enfermeira gritou ‘não tira que ele acabou de subir de uma cirurgia’, estourou e o fogo subiu.

O fogo foi na UTI. Eu estava do lado dele [Miguel] junto com a enfermeira e o rapaz do lado mexendo nas tomadas”, acrescentou.

Logo depois que os aparelhos que ajudavam Miguel a respirar foram desligados, ele entrou em parada cardíaca.

A situação foi contornada pela equipe médica. “A gente reentubou para garantir a segurança e a continuidade do tratamento.

A parada não tem nada a ver com a fumaça. Tem a ver com a retirada rápida, que acabou estubando acidentalmente”, afirmou Lúcio Flávio Peixoto, coordenador da UTI.

De acordo com o coordenador, Miguel está bem e o episódio não coloca o bebê em maior risco do que já estava após passar pelo procedimento cirúrgico.

“Ele tem o risco da doença de base dele. O risco não é aumentado pela fumaça. Não foi aumentado pela parada. Ele tem o risco da doença de base dele que é um risco pequeno”, explicou.

Por volta das 3h, a situação já estava controlada e quase todos os pacientes já haviam sido encaminhados de volta aos quartos.

Segundo o Hospital Sepaco, ninguém ficou ferido.

A administração da unidade disse ainda que a UTI neonatal foi liberada pelos bombeiros e que somente o leito onde ocorreu o princípio de incêndio vai ficar interditado.

Fonte: G1-09.0.2017.

Ebook Planejamento Estratégico em Saúde, baixe agora o seu.Planejamento Estratégico em Saúde

Compartilhe!