Gestão

Amil anuncia descredenciamento de hospitais da Rede D’Or no Rio e em São Paulo

Por Roberta Massa B. Pereira | 28.04.2019 | Sem comentários
Decisão, que vale a partir de 21 de junho, contempla toda a rede no Rio e três hospitais no estado de São Paulo, dois dos quais pertencem à Rede D’Or.

O plano de saúde Amil, um dos maiores do país, vai descredenciar hospitais a partir do dia 21 de junho, segundo e-mail enviado a clientes do plano neste sábado (27).

De acordo com o comunicado, que não cita a quantidade ou o nome dos hospitais, “não foi possível chegar a um acordo com alguns hospitais e tomamos a decisão de substituí-los”.

O jornal “O Globo” já havia informado que 17 hospitais foram descredenciados pela Amil no Brasil inteiro.

Desses, sete pertencem à Rede D’Or no Rio de Janeiro.

Segundo apuração do G1, estão confirmados os descredenciamentos, junto à Amil:

  • Toda a Rede D’Or São Luiz no Rio de Janeiro;
  • Hospital Sino-Brasileiro, em Osasco (SP) – da Rede D’Or;
  • Hospital e Maternidade Brasil, em Santo André (SP) – da Rede D’OR;
  • Um terceiro hospital em São Bernardo do Campo (SP), cujo nome não foi confirmado à reportagem.

A rede não confirmou o nome ou a quantidade de instituições que serão descredenciadas (veja nota no fim da reportagem).

A Rede D’Or São Luiz tem operações no Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco, Maranhão, Bahia e no Distrito Federal.

G1 entrou em contato com a Amil. Em nota, a operadora confirmou o fim da parceria com alguns hospitais “incluindo alguns da Rede D’OR”, mas não detalhou quantos nem quais.

“Os beneficiários continuarão a ter acesso a uma sólida rede de hospitais e provedores que praticam medicina baseada em evidência, com foco em melhores resultados de saúde”, completa a nota da Amil.

Outros hospitais

Também haverá descredenciamentos em Brasília, conforme apurado pelo G1, mas ainda não há confirmação de quais estabelecimentos serão afetados, nem informações relativas a outros estados.

A lista completa de locais afetados será enviada aos clientes 30 dias antes do descredenciamento, conforme prevê a legislação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), informou o atendimento da Amil.

Há também outros casos, segundo comunicado da empresa, de locais que “optaram pelo cancelamento unilateral do contrato”.

A Amil diz que busca “modelos de remuneração que recompensam resultados clínicos e a experiência do paciente.”

Em nota, a Rede D’Or São Luiz confirmou que, a partir de 21 de junho, parte de seus hospitais deixará de atender alguns planos da Amil.

Veja, abaixo, a íntegra do comunicado:

“A Rede D’Or São Luiz esclarece que, a partir de 21 de junho, parte de seus hospitais deixará de atender alguns planos do convênio Amil. Os demais Convênios atualmente elegíveis seguem atendidos normalmente, sendo mantido nosso compromisso de oferecer serviços de excelência aos nossos pacientes. A RDSL ressalta ainda que sempre se manteve aberto ao diálogo com todas as operadoras, tendo como prioridade buscar as melhores opções em prol do setor e do paciente. A RDSL defende que o melhor cenário para todos, paciente, médico e, mercado, e aquele que assegura a pluralidade de prestadores de serviços, produtos e operadoras. Somente assim, garante-se a liberdade de escolha do paciente em ser atendido no local de sua preferência, bem como do médico em praticar uma medicina de excelência, valorizando sua qualificação e treinamento permanente.É dessa forma que se afiança também a competitividade necessária para a sustentabilidade do setor. A RDSL é uma empresa comprometida com a qualidade do cuidado que oferece a população, tendo as suas unidades acreditadas nacional ou internacionalmente. Nossos hospitais demonstram resultados assistenciais, comprovados pela satisfação dos consumidores, além de estar entre os melhores do mundo, representando um ambiente seguro e de qualidade para médicos e pacientes. O compromisso do Grupo com a medicina de excelência e na atenção ao paciente é ratificada nos mais de 80 mil médicos credenciados em nossa rede. São profissionais referência nacional e internacional que acompanham o engajamento da Rede em oferecer a melhor infra estrutura e equipamentos para que possam exercer sua atividade em nível de excelência. Adicionalmente, a RDSL trabalha pela sustentabilidade setorial, adotando as melhores práticas de gestão, e trabalhando com novos modelos de remuneração junto as suas mais de 70 operadoras de saúde parceiras que compartilham o valor de se oferecer a sociedade o melhor que a medicina tem. Por fim, a RDSL reitera que busca evoluir junto com o setor e não abre mão de ter foco na qualidade assistencial prestada ao paciente em primeiro lugar.”

Fonte: G1 – 28.04.2019.

Ebook Lean Six Sigma em Saúde, baixe agora o seu.

Compartilhe!