Promoção

Águas de Março: enchentes provocam leptospirose e diarreia infecciosa

Por Roberta Massa B. Pereira | 29.03.2016 | Sem comentários

Publicidade

As tradicionais “Águas de Março” chegaram com força total em grande parte da região Sudeste e já provocam danos à população.

As enchentes são responsáveis por desencadear doenças como leptospirose e diarreia infecciosa.

O contato com a água contaminada ainda favorece a esquistossomose, a cólera e a hepatite A. São problemas graves, de acordo com a clínica geral e infectologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos (CHEV), Ligia Brito. “Há casos em que os primeiros sintomas costumam demorar até 2 meses para aparecer em quem está infectado. O diagnóstico nem sempre é fácil e o tratamento inspira cuidados”, ressalta a médica.

Responsável por 315 óbitos no País em todo ano 2015, a leptospirose é transmitida pelo contato com a água contaminada. Nesse caso, pela urina de animais, principalmente ratos. As bactérias (leptospiras) penetram pela mucosa do ouvido, nariz, olhos e genitálias, além de ferimentos na pele.

Com menores índices de mortalidade, a diarreia infecciosa também deve ser levada a sério. “Em uma enchente, o indivíduo fica exposto a uma série de bactérias e vermes. Ao chegar em casa, é importante que seja feita a higienização das mãos e do corpo no banho”, orienta a clínica. As crianças, por terem uma menor imunidade, e os idosos, em função do sistema defensivo menos funcional, estão mais suscetíveis ao contágio.

No caso da hepatite A, os primeiros sintomas podem demorar um pouco mais para aparecer. “O vírus fica incubado por até dois meses. Mas apenas 5% dos casos podem evoluir para formas graves e letais”, explica.

O contágio é feito de forma fecal e oral. No caso das enchentes, o lixo pode ser um transmissor pela quantidade de resíduos fecais contaminados e esgoto não tratado. Outra recomendação é sempre higienizar as mãos depois de usar o banheiro.

Os casos mais comuns da doença são registrados após a manipulação de alimentos ou qualquer objeto de uso compartilhado sem higienização. Vale lembrar que a hepatite A também pode ser prevenida através de vacina.

Entram para a lista de doenças, a cólera e a esquistossomose. No primeiro caso, não são registradas incidências no País no momento. Já a esquistossomose, o contágio é mais comum em rios e enchentes em locais próximos a este principalmente nos estados de Minas Gerais e Bahia.

COMPLEXO HOSPITALAR EDMUNDO VASCONCELOS

Localizado ao lado do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, o Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos atua em mais de 50 especialidades e conta com cerca de 1.400 médicos. Realiza aproximadamente 12 mil procedimentos cirúrgicos, 13 mil internações, 230 mil consultas ambulatoriais, 145 mil atendimentos de Pronto-Socorro e 1,45 milhão de exames por ano. Dentre os selos e certificações obtidos pela instituição, destaca-se a Acreditação Hospitalar Nível 3 – Excelência em Gestão, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) e o Prêmio Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil, conquistado pelo quinto ano consecutivo em 2015.

Fonte: Tree Comunicação-29.03.2016

Compartilhe!